domingo, junho 23, 2002

Filmes baseados em Games

Por Toxic Avenger

Bem! Isso não é nenhuma novidade, mas quero deixar o meu conceito sobre alguns games que viraram ou vão virar filmes, e podem chorar porque teve muita porcaria na industria cinematográfica. Segue uma lista dos mais conhecidos.

Super Mario Bross (1993)

Alguém se lembra dessa pérola trash? Eu prefiro nem lembrar! O filme é horrível em todos os sentidos, pois transformaram o mundo delirante do Mario numa m... futurística inacreditável! Pra se ter uma idéia de quanto esse filme é tosco, o Bowser Koopa é um humano (interpretado por Denis Hooper, que deve ter cortado os pulsos depois desse mico!). Qualquer fã tapado sabe com é o verdadeiro Koopa! O Mario (Bob Hoskins) ficou mais ou menos, já o Luigi... Ugh! HAHAHAH! Não podemos esquecer do simpático dinossaurinho Yoshi, que virou uma miniatura de t-rex do jurassic park. Depois dessa bomba, Shigeru Miyamoto deve ter mandado a Yakuza matar os produtores e roteiristas do filme! Eheheheh!

Double Dragon (1993)

Essa tosquice trash volta e meia passa na sessão da tarde (onde mais passaria?) e é baseado no game homônimo que fez carreira no mundo Beat'em up (bem antes do Final Fight). O filme tem os irmãos Jimmy e Billy (um deles é o Mark Dacascos que faz a serie o corvo e outras tosqueiras do gênero!). Como protagonistas (quem mais?) numa história pra lá de bizarra, eles tem que detonar o vilão Shuko (Robert Patrick, mais conhecido como o T-1000 de Terminator 2).

Mas não vingou, o filme é bem mequetrefe e os efeitos especiais são de matar de rir! Vale a pena assistir como uma boa comédia.

Bem! Depois temos a tosquice das tosquice das adaptações "gamísticas".

Street Fighter - The Movie (1994)

Uma pergunta até hoje me atormenta desde que tive o "prazer" de assistir essa B.O.S.T.A, os produtores realmente já viram ou jogaram um único game do Street Fighter antes de produzirem este filme?

Que queime na fogueira da santa inquisição, se alguém disser que eles pesquisaram decentemente os jogos pra adaptarem o filme.

O filmeco é protagonizado por Guile (Van Damme) que passou de personagem secundário do game a herói principal, graças ao cabuloso patriotismo americano dos produtores. Vocês queriam o quê? O filme é 100% made in USA!

Ryu e Ken, de personagens principais do game, viraram quase figurantes e ganharam uma função nada digna dos games: Os caras viraram trambiqueiros! O pior mesmo é aquele "shoryukenzinho" tosco que eles dão no Sagat e no Vega no final do filme. É de chorar!

O Honda de japonês passou a ser havaiano. E para não dizer que não fez nada no filme, ele levou um surra maçante de chicote e participou de uma cena de luta hilária com o Zangief.

O Zangief até que ficou bem parecido (sem a sunguinha do game é claro!), mas passou a ser vilão (ahahah como se nunca soubéssemos da treta entre USA e a Rússia desde a falecida união soviética!) e subordinado da Shadaloo. Também fez pouca coisa significativa no filme a não ser a já citada luta com o Honda.

Blanka! Esse foi de lascar! No começo até achei que fosse o Hulk desidratado de peruca vermelha, mas não, era o dito cujo mesmo, que em vez de ter origem nas selvas amazônicas, foi geneticamente alterado nos laboratórios da Shadaloo E adivinhem quem é na verdade o infeliz? Carlos Blanka, ou Charlie, amigo falecido do Guile. Será ele o Nash da série Street fighter Zero? Rezo que não!

O Dhalsim nem merece comentários, pois virou cientista louco da Shadaloo, que fez aquela coisa chamada Blanka. Ah! Vai meditar yoga na India que tu ganha mais!

O Thunder Hawk… O Thunder! HAHAHAHAHAH! Putz! Aquele projeto de soldado não tem nem um 1/3 do tamanho do gigantesco índio dos games, além de não ter quase nada a ver com ele em todos os aspectos!

O Dee jay trocou suas gingadas escrotas na Jamaica, para ser programador de computadores na Shadaloo! Não vou falar mais nada!

O Sagat encolheu e virou traficante de armas. Esqueçam os tiger uppercuts e tiger knees. Essa versão paraguaia de lutador tailandês não chega nem às ataduras das mãos e pernas do personagem dos games.

Chun Li ficou uh lá lá!!! Mas que eu saiba ela é agente da INTERPOL e não REPORTER! Mais essa tsc, tsc!

Balrog trocou os ringues de boxe pelas câmeras de telejornais e virou cameraman da Chun Li. Mais um personagem ridiculamente mal-adaptado.

Cammy também ficou “uh lá lá” (e Killie Minogue pagou o mó mico), mas não chega nem perto da gracinha dos games (pelo menos na personagem!).

Vega, o lutador espanhol bichinha dos games, ficou mais bicha ainda no filme, mas pelo menos ficou um pouco parecido.

Finalmente Mister Bison que foi o ultimo trabalho (e mico!) do falecido Raul Julia. Foi outro infeliz mal-adaptado, virou um ditador saco-de-osso, que no final do filme ganhou um poder do nada e ficou voando feito superman com dor de barriga. Ele deu um pau do Guile, pra depois ser detonado com uma imitação chinela de flash kick do Van Damme.

É isso aí pessoal! O que era uma grande promessa para os “streefightertmaniacos” virou essa trasheira aí! O mais incrível é que essa tosqueira foi bem de bilheteria nos EUA (só lá mesmo) e ainda cogitou-se uma continuação que graças à Deus não aconteceu.

E o mais triste de tudo é q eu assisti essa coisa no cinema! É dose!

Mortal Kombat ( 1995 )

Depois da vergonha chamada Street Fighter - The Movie, o público gamer já esperava pelo pior. Mas que nada, ao contrário de seu rival SF, Mortal Kombat foi o primeiro game a ter uma adaptação decente para as telonas, seguindo fielmente o conceito dos games. Claro que pelo fato do jogo ser gringo facilitou muito na produção e adaptação do filme, ainda mais com a supervisão dos criadores do game Ed Boon e John Tobias na produção.

Foi o primeiro filme baseado em game dirigido por Paul Anderson que atualmente fez o longa do Resident Evil (esse vou comentar depois),o filme rendeu uma boa bilheteria e teve Christopher Lambert (o enterno Highlander) encarnando o deus dos trovões Raiden, Talissa Soto como Kitana, Robin Shou como Liu Kang. Todos muito bem retratados.

O que faltou de efeitos especiais e visuais no SF movie (aliás não se vê um mísero hadouken ou sonic boom no filme) sobrou em MK o Filme, desde os manjados fireballs do Liu Kang (que detonou o Shang Tsung no final do filme) ao famoso "come here" do Scorpion (notaram que insano aquela cobrinha saindo da mão dele?) estão presentes.

A historia é meio que baseada no primeiro game do MK, um torneio mortal que reúne lutadores mortais que tem que detonar o monstruoso Goro, caso contrário terão suas almas arrancadas por Shang Tsung. Ui! Que meda!

As cenas de lutas também são muito boas e bem coreografadas, ao contrário de SF (que só no final, a luta entre Guile e Bison, pôde-se considerar realmente uma luta). Tá bom! Algumas não empolgam tanto, mas mesmo assim são legais.

Só há algumas coisas que não curti no filme. Goro ficou estranho, não pelo fato de ser um robô animatrônico, mas sim por ele ter aquela cara de mongol e ser ridiculamente derrotado pelo fracote Johny Cage ,que derrubou o monstrengo em um abismo. Sem falar que alguns personagens como Kano, Scorpion e Sub-zero morreram rápidos demais. E também não há fatalities e golpes sangrentos como no game! :C

Com o sucesso evidente do filme MK , obviamente cogitou-se numa continuação. Sim! Aquela continuação bisonha de MK, Mortal Kombat Anihilation. Meus amigos, vô te contar, hein! Que B.O.S.T.A.!

Mortal Kombat: Anihilation (1997)

É a continuação escrota do filme de Paul Anderson, se por um lado o primeiro filme priorizou uma boa história e personagens mais fixos, aqui temos uma mistura insana de personagens de MK 2 e Ultimate MK 3, mas não se empolguem porque a maioria deles desaparece sem mais nem menos e da forma menos honrosa possível.

O vilão dessa vez é o anabolizado Shao Kahn (que aparece nos games MK 2, MK3, MK Ultimate e Trilogy), que ao ver Shang Tsung ser derrotado, resolve eliminar os guerreiros mortais pessoalmente, dessa vez acompanhado pelo centauro Motaro, Sheeva, Ermac, Rain além de sua noiva Sindel.

Da galera do bem do filme anterior só Robin Shou e Talissa Soto voltaram a encarnar seus personagens, Christopher Lambert que deve ter previsto o fiasco do filme, pulou fora (sorte dele!).

Aí sim, começa a bizarrice, os personagens aparecem e desaparecem sem explicações aparentes, alguns morrem de conseqüências absolutamente RI-DÍ-CU-LAS, como Sheeva que é esmagada por uma gaiola gigante. Putz! O fracote Johny Cage, morre já no começo do filme ao tentar sair na mão com Shao Kahn. Deviam ver aquela voadora dele, que é uma cópia perfeita do golpe do game, só que esqueceram de avisar a produção que esse tipo de coisa só fica bom nos games e que na película fica ridículo demais. E não foi só isso não, lá pelas tantas, até ANIMALITY você vê no filme. Primeiro foi Liu Kang que foi atacado por um lobo que na verdade era o Nightwolf. Não preciso nem falar que ficou escroto.

Ainda no final do filme vemos Liu Kang e Shao Kahn soltarem seus "animalities". Kang virou um dragão bizarro, nem um pouco parecido com aquele em que ele vira nos games, e Shao Kahn viu uma espécie de THIAMAT falsificado, ou seja, um dragão podre cheio de cabeças que sai na porrada com o dragão do Liu Kang no desfecho desse cabuloso filme.

É f*&@! Teve gente ainda que achou essa tosquera melhor que o primeiro MK. Caraca! Eu considero esse filme um lixo do mesmo nível de Street Figth - The Movie, se não for pior!

Logo após essa porcaria de continuação-caça-níqueis-gamística, não se arriscou mais nenhuma versão de MK para os cinemas (ainda bem!). Lançaram apenas uma série em video chamada Mortal Kombat Conquest (Mortal Kombat - A Conquista) que na verdade era uma prévia do seriado de nome homônimo que chegou a passar no SBT durante uns tempos atrás.

A série não é aquelas coisas, mas é bem melhor do que o horrível MK Anihilation. A historia é mais complexa e o personagem principal é o Kung Lao que enfrenta inimigos como Scorpion, Shang Tsung,Quan Chi. Etc.

A série foi cancelada depois de duas temporadas e não me perguntem o porquê!

Wing Commander (1999)

Uma adaptação sofrível do famoso simulador de naves para PC. Também foi outro fiasco em forma de filme, teve uma bilheteria fraca e nem seus efeitos especiais salvaram o filme.

Tomb Raider (2001)

O filme não chega a ser uma bomba cinematográfica, mas passa perto disso.

Com o sucesso absurdo do game e das curvas de Lara Croft, os caras tinham tudo pra levarem o game às telonas, só que prometeram muito e cumpriram pouco. A história é um tanto bizarra assim como nos games, as cenas de ação não empolgam nem cardíaco. O que então salvou o filme? Só duas palavras: Angelina Jolie, que encarnou perfeitamente a musa de airbags avantajados e cintura fina, fez tudo aquilo que os fãs de Lara esperavam (nem pensem sacanagem, seus punheteiros!), tiros e mais tiros, cambalhotas, saltos de um lugar ao outro, etc... Show de bola!

Mesmo com esses pesares os produtores vão arriscar uma continuação, novamente com Angelina Jolie no papel de Lara, pelo menos já é um incentivo pra assistir o filme. Eheheheheheeheh!

Final Fantasy The Movie (2001)

Outro que prometeu muito e cumpriu pouco. Bem, cumpriu pelo menos na parte de animação em CG que é 10, o melhor filme em computação gráfica que já vi, mas o filme tinha no título uma responsabilidade de ser fiel à série de games de RPG mais famosa no mundo, coisa que não vi além do nome oportunista. Se pelo menos a história fosse mais complexa e não tivesse aquele tema tão ecológico o filme seria melhor. Sem falar das poucas cenas de ação.

Em conseqüência a pouca fidelidade aos games, o filme foi um fiasco nas bilheterias tomando um pau de AI - Inteligência Artificial e outros pesos-pesados de Hollywood. Nem Ming Na Wen e Alec Baldwin fazendo as vozes dos protagonistas vingaram o filme. O “preju” foi tanto que a Square Pictures fechou as portas depois de 4 anos de trabalho árduo na produção do filme. Uma baita trabalheira do cão e não valeu pra nada. Tsc, tsc!

Portanto, continuação NEVER!

Resident Evil: O Hóspede Maldito (2002)

Os games de RE tiveram uma influência básica em vários filmes, como A Noite dos Mortos-Vivos, entre outros clássicos, então seria dois palitos para adaptar o famoso game para as telonas.

O filme estreou no mês retrasado nos EUA dando uma boa bilheteria, o que foi fundamental para uma continuação. Aqui no Brasil o filme chega oficialmente lá pelo final de junho em conseqüência de dois arrasa-quarterões : Homem-Aranha e Star Wars Episódio II.

Obviamente se o filme estreasse junto com estes citados acima seria inevitavelmente ofuscado e por isso se pensou no mais lógico:adiar a estréia do filme que chegaria no final desse mês.

O filme que por sinal parece ser bem fiel aos games tem como protagonista a gata Milla Jovovich no papel de Alice. Paul Anderson (que dirigiu o primeiro filme do MK) já alegou que todos os personagens do filme serão inéditos, então percam as esperanças de verem Jill, Chris, Leon, Claire, etc.

Segundo ele, se colocassem os personagens do game, todos já saberiam que eles iriam sobreviver e então se optou por personagens novos para manter o suspense. Como se ninguém desconfiasse que a sarada Alice (Jovovich) vai se safar dos comedores de cérebro. Dã!

A história se passa no nefasto laboratório da UMBRELLA que foi fielmente retratado no filme (que baba!) onde um computador psicótico libera toda a escória de zumbis para matar as pessoas, sem falar no terrível vírus que causou essa "festa" toda, “zumbificando” humanos inocentes e também algumas criaturas.

Os zumbis, pois sem eles o filme não é RE, pelo que eu vi numas fotos tão devendo muito em termos de assustadores aos “mortadaços” do game, parecem mais vítimas da dengue ou de atropelamento do que zumbis (pois nos games os monstros são feios que dói e caindo aos pedaços!). Mas quem sabe eu esteja enganado.

Há os típicos cães-zumbis para infernizar a galera assim como os corvos assassinos (que parecem terem saído de algum filme do Hitchcock).

O monstro-mór do filme é nada menos do que o LICKER. Sim! É aquele bicho linguarudo, pentelho, que você mata aos montes no RE2, mas não é exatamente igual, ele é bem MAIOR e mais feio. Mas ainda preferia que fosse um vilão do naipe de TYRANT ou NEMESIS (que provavelmente vai aparecer na continuação, já que o segundo filme tem seu nome como sub-título). Só falta algum lesado botar um Hunter como vilão, aí eu corto os pulsos... do produtor é claro! Eheheheheh!

Podia ter também um animal gigante no filme , típicos da série como a enorme serpente do RE, o gigantesco crocodilo do RE2 e aquela larva enorme do RE 3. Quem sabe apareça um!

Bem tudo isso vou tirar a limpo quando o filme estrear no mês que vem. Aí posso relatar mais coisas.

E é isso! Com tanto fiasco de games mal-adaptados, volta e meia surge um descente, e em breve com certeza mais jogos serão adaptados para as telonas. Não sabemos se vão ser mais bombas cinematográficas ou filmes descentes, isso só vai depender do empenho dos produtores do filme e roteiristas.

Marcadores: , , ,

domingo, junho 02, 2002

Direitos Iguais Rituais Iguais - Discworld

Direitos Iguais Rituais Iguais - DiscworldVocê já pensou o que aconteceria se o mago Merlin fosse mulher? Ou já se perguntou o porquê de Gandalf nunca ter se casado? Estas são algumas das questões que Terry Pratchett tenta explicar em Direitos Iguais Rituais Iguais, o terceiro livro da série Discworld a ser editado no Brasil pela Conrad.

Esta é uma história sobre sexo. Bem! Na verdade é uma história sobre magia, mas tem um pouco de sexo também. Claro que não no sentido literal da "coisa"! Tudo começa quando Drum Billet, um velho mago preste a morrer, está procurando por alguém que possa ser seu sucessor. No entanto, ele só pode repassar seus poderes mágicos a alguém que seja o oitavo filho de um oitavo filho. Billet encontra, em uma pequena vila, um recém nascido que casa perfeitamente com tal estranha combinação. Mas o velho mago, após repassar seus poderes, descobre tarde demais, que o recém nascido não é um menino, e sim, uma menina!

Mas há algum problema nisso? - Mas é claro que há! Todo mundo sabe (ou pelo menos todo mago sabe) que uma mulher não pode ser maga. Sim! Pois uma mulher maga é na verdade uma bruxa. Este fato é tão estranho quanto um homem ser um bruxo (pois na verdade ele seria um feiticeiro!). Isso acontece porque existe magia e... magia! A magia emotiva, natural das mulheres, que é baseada na intuição, e a magia racional dos homens, cheia de conceitos, métodos e cálculos. E pode ter certeza que os dois tipos de magia não convivem harmoniosamente.

Agora com oito anos de idade, aquele bebê, se transformou em uma linda meniniha de cabelos castanhos. Eskarina, como foi batizada, estava sendo iniciada nas práticas da bruxaria pela Vovó Cera do Tempo. "Esk" mostra-se uma boa aprendiz de bruxa, pois ela aprende muito facilmente a utilizar os vários tipos de ervas e a preparar as poções mágicas. Mas Vóvo Cera do Tempo estava notando algo entranho na menina. A magia dos magos começa a "brotar" em Esk de forma espontânea e sem controle, fazendo grandes estragos por onde a menina passasse. Para evitar que Esk se transforme em uma catástrofe ambulante, a velha bruxa decide levar Esk para a Universidade Invisível, o único lugar onde a menina poderá aprender a controlar seus poderes. Mas agora é que começa os verdadeiros problemas para Esk, pois para ser aceita na Universidade Invisível, um lugar onde por tradição só estudam homens, ela terá que vencer o preconceito e o machismo dos magos.

Não considero Direitos Iguais Rituais Iguais tão bom quanto os dois primeiros livros da série, A Cor da Magia e A Luz Fantástica. Mas ainda assim é um bom livro, pois o sarcasmo e ironia de Pratchet continuam fortemente presentes. A história ira cativar, sobretudo as mulheres, pois aborda um tema tão comum ao universo feminino, que é a luta por igualdade sexual. Já os homens irão apreciar muito mais a história se soltarem seu lado feminino (mas não vão soltar demais!).

Alguns de vocês já devem ter percebido que, neste livro, Rincewind dá lugar a Esk como protagonista. Mas os fãs do mago picareta não se preocupem, pois Rincewind estará de volta em Sourcery, o quinto livro da série.

E tenho que dar os parabéns a Conrad pelo bom trabalho que tem feito com a série Discworld, sobretudo quanto à tradução. Como Terry Prachet usa e abusa de trocadilhos, principalmente com os nomes dos personagens e lugares, a tradução dos mesmos se torna uma tarefa árdua. E a editora tem contornado muito bem este problema, adaptando da melhor maneira os nomes para o português e mantendo no original aqueles que penderiam o sentido caso fossem traduzidos.

DADOS TÉCNICOS

Direitos Iguais Rituais Iguais
Terry Pratchett
Editora Conrad
221 páginas
Compre Aqui


SÉRIE DISCWORLD

Tags: , , , ,

sábado, junho 01, 2002

Dragon Ball Zica - Capítulo 10

Hey! How! Let’s Goânus!

Por Galford

Ae pessoal desocupado que todo mês visita nossas aventuras, hehe. Enquanto parece que a M.E.D.I. vai renascer das cinzas (eu disse parece), vou aqui tentando manter com pouco (na verdade muito) atraso minha cota mensal de bobagem. Para alegria de uns e tristezas de outros, sabe aqueles que ficam, “Ai, não zoa meu Goku senão fico bravo”. Bah, podem fazer bico a vontade, enquanto meu anjo da guarda (onde quer que esteja esse individuo preguiçoso) me ajudar e Akira Toryama não me processar (falido do jeito que estou, duvido ele consegui arrancar alguma grana de mim) a Dbzica vai continuar. Avante Guerreiros Zicas! (argh, essa ficou feia)

E no capitulo anterior, no mesmo bat canal, torneio do Céu ia começar quando surge a mala do Sr. Satango. E agora voltando a programação normal. Antes de lutar, Sr. Satango manda primeiro seus dois discípulos que são facilmente despachados e logo em seguida ele também com apenas um soco de Céu (Não entendi, o Toryama faz essas cenas pra rirmos ou para nos revoltarmos?! Eu fiquei com a segunda opção).

Finalmente Goânus e Céu vão lutar, finalmente teremos uma luta de macho (se é que Céu é macho, isso nunca foi explicado na história), é inacreditável, eu nunca vi uma luta tão, tão... repetitiva. É o mesmo soco e chutes rápidos de sempre, uahhhhh, dá até sono, até o Van Damme faria melhor, mas prosseguindo, Céu começa um festival de plágio e ataca usando as técnicas dos guerreiros Zica, isso não significa que a luta melhora, zzzzzz... Céu resolve destruir o ringue para ter mais espaço (e porque não fez logo um ringue maior? Bah, amadores).

Goânus concentra seu ki e prepara um Kamehamehato, todos se assustam pensando que ele vai destruir a Terra (eles adoram fazer essas caras de tontos assustados), mas ele se teletransporta e dá um kamehamehato a queima roupa em Céu, metade do corpo dele vai para o espaço. Acabou?! Claro que não, esqueceram a regra que vilão tem que demorar a morrer (some isso mais ao ritmo “mexicano” da série)? Então, Céu se regenera completamente, recomeça a “luta”, Goânus já demonstra sinal de cansaço, então resolve entrega a rapadura (para os leigos, ele desistiu da luta, se você o imaginou entregando uma rapadura a Céu, sinceramente, você não tá regulando bem). Goânus jogou a bomba na mão do pouco “útil” Gohanta.

Na verdade era pra ser o Sr. Satango, mas o mala fingiu uma dor de barriga (será que ele comeu o famoso e temido macarrão com salsicha da mãe do Samurai Y?), pra ajudar, Goânus ainda deu um viagra dos deuses para Céu (mas que Piiii). Começa a luta, Céu desce o braço em Gohanta, que pra variar só apanha e não faz nada, porque não quer lutar (que coisa mais cavaleiro de Andrômeda), enquanto todos estão distraídos, o andróide 8+8 agarra Céu por trás e decide que vai se auto destruir, meia hora de suspense depois, Pão Pulma avisa que o pai dela teve a incrível idéia de tirar a bomba dele, Céu aproveita a expressão de “oro” dele e o faz em pedaços, yeah, tava na hora, oh andróide feio, pena que ainda sobrou uma cabeça.

Céu então decide acertar os guerreiros zicas para deixá-lo nervoso, primeiro ele rouba o viagra dos deuses, depois da sua porta dos fundos, com muito esforço, Céu solta 7 criaturinhas iguais a ele, só que em tamanho menor e azuis (Oh, Céu é mãe... ou pai, xiii, complicou o meio de campo), são os Céus Juniors.


Vamos pensar, cada vez que o Céu se separa, diminui seu poder, no caso ele está dividido em 8 partes, que daria 12,5% de poder por personagem, mas o Céus Juniors são pequenos, logo devem ter metade do poder dele, então dividiremos por 4 partes, supondo que cada 2 pimpolhos sejam igual a um Céu, logo Céu tem 25% de poder e os pimpolhos uns 9,375% do poder total de Céu. Agora após toda essa conta inútil e sem sentido, devemos julgar que pimpolhos são bem fraquinhos ao relação ao Céu pai/mãe, e guerreiros como Dijita, Picolé e Thanks que tem grande poder e passaram mó tempão brigando naquela maldita sala de treinamento, deveriam pelos menos, se não fosse pedir demais, lutar pau a pau com eles, mas nãoooooo, eles apanharam pra burro, de forma ridícula, monga e isso é tão revoltante, que todos telespectadores de DBZ deveriam virar saiajeans de tanta raiva com essas coisas sem nexo. Uh, surtei!

Enquanto isso, a cabeça do andróide 4x4, incentiva Gohanta a lutar, mas seu monólogo é interrompido com um pisão de Céu, e isso desperta a fúria de Gohanta, ele solta a franga, e finalmente se transforma em Supersaiajeans nível 2! Noooosssaaa!

NO PRÓXIMO CAPÍTULO

Oie! Eu sou um visitante da M.E.D.I., e tipo, sempre acompanho o site, acho legal apesar de demorar muito pra atualizar, e tipo, pombas, a Globo já passou e reprisou a fase do Majin Boo e vocês ainda estão empacados nessa fase do Céu. Kaceta! Essa DBZica está mais enrolada que o próprio anime. Até o próximo episódio, sabe lá deus quando.

ENTREM NA COMUNIDADE DE DRAGON BALL ZICA NO ORKUT