sexta-feira, maio 30, 2003

X-Men 2: Evolução ou Regressão?

Por Galford

Há alguns anos atrás o mundo ficou em choque ao ser atacado por uma bomba de alto impacto capaz de causar danos cerebrais irreversíveis. Esse ataque covarde não veio do Iraque ou do Afeganistão, mas sim da terra da liberdade (liberdade para enganar o mundo), os EUA. O nome do terrorista, Brian Singer.

Com a alcunha de diretor de cinema, ele dirigiu uma adaptação para as telonas dos mutantes mais queridos das HQs, os X-men, que foi bizarra ao extremo, mas assim mesmo adorada por nerds e enrustidos de plantão. Paranóico em sua fome de destruição, ele queria mais. Então nada mais lógico do que lançar um segundo filme, e o fim dos mutantes parecia iminente.

OS PERSONAGENS

Wolverine: Novamente ele se destaca no filme, suas garras ainda saem bizarramente pelos dedos e têm um visual de faca de churrasco. Seu cabelo parece dar trabalho a produção, porque durante o filme ele aparece em vários formatos diferentes. Num segundo pode estar despenteado e em outro todo engomado, parece até coisa do filme Corra que a Polícia Vem Aí.

Mas Wolvie se destaca pelas mortes, (sim, ele mata, não tem aquela viadagem do desenho), pelas cenas cômicas e por chifrar o lerdo do Ciclope. Já o mal dele é o tamanho. O baixinho parece ser maior que todos do filme, acho que só perde pro Peter. E é incrível como em uma parte do filme, sua roupa versão Batman é totalmente picotada pela Lady Lethal mas fica sem nenhum furo. Deve ser um fator de cura têxtil.

Tempestade: Ela não fede nem cheira. Seu maior inimigo ainda continua sendo seu cabelo, pois conseguiu arranjar uma peruca pior que a anterior.

Jean Grey: Esse poderia ser um possível diálogo entre Famke Janssen, a atriz que mais uma vez interpreta a Jean, e o diretor Brian Singer:

Janssen - Poxa, no primeiro filme não fiz droga nenhuma, me dá uma chance ae?
Singer - Não posso, num mando em nada...
Janssen - Eu faço qualquer coisa, gostosão.
Singer - Hum... Pra dar um destaque pra você, vou deixar que a Jean beije o Wolvie e salve todos no final com uma cena a la Moisés, beleza?
Janssen - Ótimo, depois dá uma passadinha lá em casa.

Então Singer vai falar com o roteirista:

Singer - É, sabe, surgiu um imprevisto. A idéia de matar a Jean para sumi-lá do próximo filme precisa ser descartada, vamos ter que revivê-la como a Fênix.
Roteirista - Mas será que os fãs vão aprovar isso?
Singer - Ah, eles engolem qualquer coisa. E de qualquer forma, se isso funcionou no gibi, também vai funcionar aqui. Fora que é filme da Marvel, morrer e ressuscitar é a coisa mais normal do mundo.

Professor Xavier: Nesse filme ele mostra seu poder efeito Matrix, paralisando uma multidão sem suar. Ele pode matar até via pensamento. Ow! Nada exagerado, né? Mas de resto, Xavier faz a mesmas coisas do outro filme.

Ciclope: O ator James Marsden, que interpreta o enrustido Scott Summers, deve ter feito alguma brincadeira de mau gosto com o diretor, porque nesse filme seu personagem tem tanta utilidade quanto um pingüim de geladeira. Tem horas que você até esquece que ele está no filme.

Acredito que o Scott compre suas roupas na mesma loja do Carlton (do seriado Um Maluco no Pedaço). Depois de aparecer no filme com aqueles modelitos, não sei como Marsden ainda não recebeu um convite para estrear um remake de A Vingança do Nerds.

Pra piora a situação do Ciclope nesse filme, ele toma um chifre do Wolvie, fica viúvo, e depois vai chorar no ombro do "inimigo". O perfeito corno elétrico. Sem contar que ele quase beija o Xavier.

Noturno: Quer ver uma sósia dele? Simples! Pegue o Luciano Huck e pinte de azul. Mais perfeito, impossível. Sendo mais maldoso, o Noturno desse filme poderia facilmente participar de Xuxa e os Duendes 3.

Nas fotos você não percebe, mas assistindo ao filme dá pra notar que ele tem desenhos pelo corpo todo, que segundo a explicação da história, é pra simbolizar quantos pecado ele fez (se muita gente que conheço seguir o exemplo dele, vai ficar parecendo um membro da Yakuza). Incrível, uma pessoa num pode ser simplesmente azul? Noturno tem desenhos, a Mística tem escamas, se aparecer o Arcanjo num próximo filme, é bem capaz dele ter espinhas ou sardas.

Mesmo assim Noturno garante boas cenas devido ao seu poder de teleporte (com direito a efeitos Matrix) e a alguns momentos cômicos. Ele também mostra seu lado religioso, mas não espere oNoturno dos quadrinhos, afinal ele ainda é novato e se mostra muito medroso, algo compreensível considerando tudo que passou.

Nesse filme ele deve andar com um estoque de spray Bom Ar já que ninguém reclama do seu fedor de enxofre. E ele ainda protagoniza a cena mais tosca do filme, que é balançar o rabo depois de uma conversa com a Mística.

Magneto: Continua tosco com sua cara de papai noel e seu capacete-panela, mas garante alguns momentos interessantes tais como a forma como que ele tirou o ferro do guarda do mesmo modo como retirou o adamantiun do Wolvie nos quadrinhos, a sua fuga da cadeia e amaneira como matou os homens das granadas.

É estranho que os guardas usem cassetetes de vidro ou plástico sendo que os originais são feitos de borracha, teriam eles se confundido e pego seus vibradores?! Convenhamos que a atuação de não é ruim, o problema que o Magneto dele não mete medo nem em criancinha. E porque se locomover numa plataforma de ferro se você consegue voar, meu filho?

Mística: Continua com seu visual raladora de coco do filme anterior. Diferente da mulher durona dos quadrinhos, ela é totalmente submissa ao vovô Magneto. O pior é que ele ainda dá a indireta de que dá um trato nela, essa nem avestruz engole. A cena em que ela tira sarro da mecha da Vampira é totalmente dispensável, parecia duas bichinhas falando mal uma da outra. Tirando isso, sua atuação é boa.

Vampira: Aqui ela já virou a namoradinha do Homem de Gelo e possui poucos momentos de ação. Se nas HQs seu poder poderia levar alguém ao nocaute, no filme ela fica meia hora tocando alguém e logo logo o sujeito já está de pé com uma recuperação relâmpago. Destaque para o momento comercial de Halls depois que ela beija o Homem de Gelo.

Homem de Gelo: Garante alguns momentos cômicos com o Wolvie, como recebê-lo com um gélido aperto de mão (eu gostaria de fazer isso com certas pessoas), esfriar seu refri com um bafo (eu não tomaria isso se fosse você) e dizer aos pais que ele era seu professor. Seria legal se ele se transformasse realmente em gelo pra fazer jus ao codinome.

Colossus: Em sua forma em aço ficou parecendo um T-1000. Uma rápida e tosca participação.

Pyro: Mais um que aparece um "pouquinho" mais novo que nos quadrinhos e com uma atuação média, já que também nas HQs não é lá grande coisa. Mas mesmo assim rende o melhor comentário do filme ao chamar o capacete-panela do Magneto de cafona.

Coronel Stryker: Péssima atuação, esse cara num duraria dois meses no quartel. Dá impressão que se tocarmos uma música do Village People, ele vai olhar para os dois lados pra conferir se não tem ninguém, e vai começar a dançar alegremente. E controlar alguém apenas pingando um liquido tosco no pescoço é deveras xarope.

Lady Lethal: A original dos quadrinhos mete medo só com o olhar, mas essa versão funcionaria melhor em um filme das Panteras. Sua luta com o Wolvie é muito rápida. Eu digo rápida nos dois sentidos, a câmera não para, tem hora que não se entende nada, os golpes variam do legal ao tosco. Não á toa mereceu a morte tosca que teve. Só queria saber de onde ela tirou aquele fator de cura.

Então? A história está mais madura, não é podre que nem a do primeiro. Bah! Na verdade o primeiro nem tinha história. O segundo filme está mais violento e mais cômico, todo mundo virou comediante, mas falta ação, ação de quadrinhos, aquela coisa de lutar em grupo. Faltam os sentinelas, queremos os sentinelas.

Kceta! Precisam aproveitar melhor o poder dos mutantes. Precisam decidir essa coisa do uniforme, ou usam o original ou criam algo novo, pois esse negócio de tentar um meio termo não está funcionando. Ainda bem que os personagens quase não usam uniforme. A roupa do Wolvie, por exemplo, parece que saiu direto do filme do Batman, mas como eu já estava traumatizado com a caracterização dos personagens no primeiro, o choque nesse foi menor, já que eu não esperava grande coisa mesmo.

E não posso esquecer de mencionar o horrível pôster criado para o filme, com o destaque para o Wolvie, só porque foi a única coisa que prestou no primeiro e a Tempestade, simplesmente porque ganhou um Oscar. Triste, no?

Finalizando, o filme não é uma bomba, mas está longe de impressionar. Depois de duas semanas você já se esquece dele. O filme do Homem-Aranha o derruba em dois tempos. Esquema é assistir com uma galera que manja, pegar as referências e o melhor, tirar sarro das tosquices, porque esse segundo filme dos mutantes evoluiu em relação ao primeiro, mas não o suficiente.

Tags: , , , ,