segunda-feira, janeiro 31, 2005

Princess Maker II

Por Razor

Olá senhoras e senhores, como vão todos? Ainda estão de ressaca dos Cangaceiros do Zodíaco? Bem, bem... Não vou satirizar nenhum anime desta vez (bom, não exclusivamente... hehehe). Eu estava escrevendo uma matéria sobre o game Deus EX, mas como eu não me lembro de uma porrada de coisas a respeito, e já que eu voltei a jogar o Princess Maker 2 (depois de tanto tempo), eu acabei escolhendo fazer uma matéria sobre ele, pois esse jogo também não deixa nada a desejar. Ele simula o seu grau de paternidade de uma forma indireta (bom, mesmo porque eu nunca vi nenhum pai tratar a sua filha como um Tamagochi, pelo menos até hoje!). Bom, sem mais delongas: Boa leitura!

PARTE I: A HISTÓRIA DO JOGO


Há muito tempo atrás (quando o homem ainda nem tinha descoberto a roda), em uma terra distante havia um glorioso reino (isto está parecendo a história da Bela Adormecida). As pessoas deste local viviam de forma pacífica e harmoniosa, mas no entanto, acabaram se tornando arrogantes e pecadoras (todos viraram argentinos). Os deuses no paraíso (plágio do Olimpo) olharam para baixo, e decidiram que a Terra deveria receber uma lição para pagar por todos os seus pecados (fazendo com que todos assistissem uma maratona de Dragon Ball Z). Depois disto, Lucifon (judiaram até do nome do capeta) e seus seguidores ergueram um exército do submundo das trevas para travar um ataque contra o reino (estilo He-man). O povo lutou de maneira dura (hmmm...), mas o demônio era forte demais para todos (usava o anabolizante patenteado do Duke Nukem).


Quando a esperança de todos começava a ir para o brejo (DBZ ainda estava na saga do Freeza), apareceu um destemido guerreiro do leste (não, não era o Clint Eastwood). Lucifon (uma mistura de demônio com panela de teflon) foi repentinamente surpreendido. O guerreiro desafiou Lucifon para uma batalha Pokémon. A luta foi longa e entendiante (mais enrolada que a do Yusuke contra o Toguro, em Yu Yu Hakusho). O primeiro a cair foi Lucifon (que havia bebido além da conta). Depois disto, ele perguntou ao guerreiro: "Por que você luta por estes argentinos, sendo que você é brasileiro?". O guerreiro não sabia o que responder, mas manteve o seu olhar fixo para o Príncipe das Trevas (olhar 43, o danado vai acabar gamando assim... ui!). Lucifon, sabendo que havia sido derrotado, fez jus a sua reputação de vilão, prometendo que iria voltar um dia para conquistar o mundo e blá blá blá, aquele besteirol de sempre que todo mundo já está de saco cheio de ler.

O guerreiro foi aclamado um Herói (isto mesmo, com H maiúsculo) pois foi o único que conseguiu detonar Lucifon e o exército inteiro de demônios (fazendo bico até para Rambo, Robocop e Exterminador do Futuro juntos). O rei e a rainha (Pelé e Xuxa) convocaram o Herói para comemorar a notável vitória na corte, com direito a pagode e churrasquinho de gato. O rei graciosamente (uiii...) agradeceu o Herói por fazer o trabalho sujo, e copiou de forma descarada um daqueles finais melosos de Pokémon, dizendo que havia aprendido a sua lição, e que ele jamais iria brincar de médico com a enfermeira novamente. A rainha colocou a mão no ombro do marido, dizendo que ele era um pervertido safado e pinguço, e que se continuasse assim, ela iria fugir com o tintureiro, mas ainda assim, admitiu que tinha um pouco de culpa também (no entanto, a culpa acaba sempre sendo do marido no final das contas). O rei então convocou o povo inteiro da corte para cometer um genocídio, mas como isto iria ser contra o regulamento do anime (pega leve gente, isto aqui não é Spregan), decidiu somente dar uma bronca no pessoal., e então, passou a fase inteira do Perfect Cell para todos assistirem. Depois desta confusão toda, o rei decidiu dar um emprego para o Herói, onde este não precisaria fazer absolutamente nada e ainda iria ganhar para isto (o sonho do Zé Carioca). O Herói pensou por um instante (a mãe devia ser loira), mas depois aceitou a oferta. "Eu acho que isto não será uma má idéia", disse sorrindo de forma sarcástica.

Vários meses se passaram (até que enfim, não tava agüentando mais esta enrolação toda), e o reino finalmente havia voltado ao normal. Isto, pois depois de arrumar este trampo, o guerreiro decidiu se aproveitar do seu cargo para desviar uma "renda extra" para o seu cofrinho particular. No entanto, os deuses ficaram em dúvida se isto era bom ou ruim. Enquanto isto, o nosso amigo, o Herói, ficava cada vez mais contente vivendo no reino, a cada dia que se passava (também, com um emprego destes, até meu cachorro). Uma noite, após um árduo dia de trabalho (coçando o saco e tirando meleca do nariz), o Herói sentou-se na grama, e começou a observar as estrelas (apertando um baseado). Uma estrela em particular, parecia brilhar mais que as outras (era a Estrelinha Mágica da Turma da Mônica). O Herói podia jurar que havia escutado o próprio nome, mas ficou em dúvida, pensando se aquilo não era somente um efeito colateral do barato que tava deixando ele ligadão. Ainda assim, quando ele estava prestes a puxar a espada da bainha, a estrela brilhante aterrissou em um campo aberto (ó meu deus, será o ET?). O herói correu que nem uma vaca louca para ver o que tinha caído (que nem brasileiro quando vê acidente em rodovia). Na verdade ele não entendeu nada, pensou que estavam gravando o primeiro episódio de Smallville, mas ainda assim, estava determinado a descobrir o que estava se passando, e deu um gás maior que o do Forrest Gump. O objeto que ele pensava ser uma estrela, era na verdade... Uma garota! E ele refletiu por um instante: "Cacete, tira a cerveja da cegonha".

"Bravo herói", uma voz ecoou em sua mente, "Por causa da sua atitude imbecil de proteger uma cidade repleta de argentinos, você foi escolhido pra tomar conta desta menina". O Herói, que estava doidão, não entendeu direito o que estava se passando, mas estava curtindo aquela piração toda como nunca. E continuou a ouvir aquela voz: "Esta gentil menininha não possui mais que 9 anos. Ela já participou do filme O Exorcista, e desde que nasceu, viveu afastada da maldade e da impureza do mundo (ou seja, não conhecia São Paulo), e ela precisa de alguém que seja bravo, forte, másculo, gostoso, tesão... Erm, leal e..." e o Herói a interrompeu: "Ôpa, pera lá caracas! Vamos lá no Ratinho fazer o teste de DNA!!" e a voz respondeu: "Tá bom vai, eu pago a pensão da pirralha!" e a menininha flutuou até os braços do Herói (clichê de DBZ, novamente). "Eu confio a você, honrado herói (ah tá, falou viu!) esta menina". A voz começou a se extinguir (os créditos estavam se acabando, celular pré-pago é duca), mas o Herói finalmente ouviu: "Bom, de qualquer forma, se vira mané". Pensamentos começaram a se passar pela cabeça do Herói rapidamente: "... Soh.......... Soh............. Sohhhhhhh....". Enquanto isto, ele estava carregando a garota (que estava peladinha, por sinal) em seus braços (ainda bem que só ele tava doidão, já pensou se... Bom, mudando de assunto...). Após alguns instantes, ela abriu os seus lindos olhinhos, e percebeu que estava encarando um cidadão completamente desvirtuado, babando, com os olhos vermelhos e disse: "Papai...". O coração do herói derreteu (que lindinho, vou escrever no meu diário!) e a resposta dada por ele foi: "Não me amola que eu 'tô numa nice'!"

Um ano se passou, daí então o Herói e a sua filha retornaram ao local que se encontraram pela primeira vez (para se lembrar do tamanho do buraco que ela havia feito. Ai como era graaaande!). E daí a aventura se inicia...

PARTE II: O JOGO EM SI

Bah, chega de enrolação, vamos ao que interessa!

Princess Maker foi um jogo desenvolvido por Takami Akai e pela empresa Gainax (sim, a mesma responsável pelo desenvolvimento da série animada Evangelion), no ano de 1991. Mas pera lá, não pense que você irá controlar uma princesa endiabrada, controlando um EVA animalesco e destruindo metade do mundo (ahhhhh!). Na verdade, esta série já alcançou o seu 4º lançamento de sucesso, onde os dois primeiros foram lançados para DOS, enquanto que os dois últimos, foram lançados somente para o console DreamCast.

Depois de assistir a enrolação toda do início do jogo (comentada na primeira parte), você se torna pai de uma garota de 10 anos, e a partir daí, você fica responsável pelo seu crescimento, desenvolvimento e educação pelos próximos 8 anos de vida dela (até ela ter idade o suficiente para ir em cana). Portanto, ela poderá se tornar desde dona-de-casa (típica Amélia), até esposa do capeta (literalmente). Ao todo, o jogo possui mais de 70 finais diferentes. Ou seja, você já terá cortado os pulsos antes de pensar que já viu todos os finais existentes.

Durante a vida da pimpolha, ela deverá estudar, trabalhar, participar de aventuras (estilo jogo de RPG mesmo) e até sair de férias com o papai (lalala). Bom, tudo o que eu sei, é que tudo isto custa muito caro neste jogo. E para tanto, é preciso explorar a fedelha (já que o pai é um tremendo de um vagabundo, que só se preocupa em manipular a vida dela), colocando-a para lavar pratos no restaurante, ou até fazendo com que ela se torne dançarina de cabaré.

Bom, acho que nem preciso dizer que este jogo foi um sucesso no Japão (e na Ásia em geral). No entanto, nunca foi lançada nenhuma versão para o Ocidente. Mas, ainda há um restinho de esperança que esta série de jogos seja lançada por aqui. O jeito é cruzar os dedos e contar com a sorte.

As más línguas por aí, dizem que na verdade este jogo faz jus ao estilo Hentai. Mas, como o nível de perversão deste negócio não atinge os patamares que os viciados em pornografia almejam de forma tão excessiva (isto foi profundo, não?), sinto desapontá-los, mas eu diria que as coisas não funcionam bem assim. Quer dizer, se você for um pedófilo em potencial... Bem... Nada não, continuando...

PARTE III: BOTANDO A MÃO NA... MASSA

Escola

Bom, se você desejar que a sua filha não seja uma analfabeta, integrante do programa Big Brother Brasil ou até mesmo dançarina típica do Faustão, você deverá fazer alguns sacrifícios para dar educação a ela (nem que seja na base do chicote, ui!). Ela poderá optar pelas seguintes escolhas: Ciências, Poesia, Teologia, Estratégia, Esgrima, Luta , Magia, Protocolo, Pintura ou Dança. Por sinal, nada é de graça (até jogando no PC você tem que ter grana, esse mundo é muito escroto). De acordo com as opções que forem selecionadas, sua filha irá obter pontos diferenciados em vários tipos de habilidades que o jogo oferece (ou melhor dizendo, especialização do trabalho, Taylor deve estar se revirando no túmulo).

Trabalho

Sim, este jogo é simplesmente politicamente incorreto. Ou seja, você pode colocar a sua filha de 10 anos de idade (que ainda nem sabe a diferença de bala para pirulito), para suar o vestido (tava pensando o que, hein seu pervertido). Mas isto tem de ser feito mesmo, já que o pai é um Homer Simpson da vida. Não faz absolutamente nada. A única desvantagem para este urubu interesseiro, é que toda a renda arrecadada, só pode ser utilizada em proveito da própria filha com estudos ou itens que ela pode comprar na cidade (a desgramada deve ser filiada do partido ACP, ou melhor dizendo, Acertando as Contas com o Papai, fundado pelo extinto Macaulay Culkin, astro do filme Esqueceram de mim, e tara particular do Michael Jackson nas horas vagas) . Bom, pelo menos isto, né? Senão acho que o nome do jogo seria "Vagabundo Maker". As profissões disponíveis são: Dona-de-casa, Babá, Arrumadeira, Fazendeira, Freira, Cozinheira, Lenhadora, Cabeleireira, Pedreira, Caçadora, Coveira, Professora, Garçonete, Prostituta e Dançarina de cabaré. Bom, resumindo: quase todas as profissões, de índole bastante questionável (exceto cabeleireira, que coisinha mais chiquérrima... huhuhu).

Aventuras

Bom, se você não é o tipo de pai que gosta de ficar brincando de casinha, você pode transformar a sua filha em um monstro-assassino. Sim, ela pode sair por aí se aventurando no mundo atrás da cabeça de monstros e riquezas (que contribuem muito para os estudos... hehehe). Mas, ao contrário dos jogos de RPG tradicionais, ao invés da fedelha ganhar pontos de experiência, o prêmio recebido são pontos de pecado. Então, com o passar do tempo, a garota fica com uma tendência de se tornar Hitokiri Kenshin (o Battousai). Mas para que ela possa ser capaz de enfrentar tantos monstros, ela precisará treinar muito na escola, e também precisará de armas e armaduras (os psicopatas de plantão, que nem o Camilo, meu ex-professor de matemática, ficarão de olhos arregalados quando virem uma katana). Depois estes pontos de pecados podem ser removidos, caso a pequena assassina trabalhe na igreja, ou doe dinheiro para a freira (isto me lembra uma música do Led Zeppelin: "And she's buying a stairway to heaven..."). Estas aventuras dividem-se em 4 territórios diferentes: Oeste (deserto), Sul (lago), Leste (floresta) e Norte (geleiras).

Festival da Colheita

A cada ano que se passa, há um festival que divide-se em 4 categorias diferentes: Combate, Arte, Dança e Culinária. Conforme o nível de habilidades da pirralha estiver presente na ocasião, ela estará sujeita tanto a vencer quanto a perder para os desafiantes. E com o passar do tempo, a menina encontrará uma rival pelo meio do caminho (só para esquentar um pouco as coisas). Se ela vencer o torneio que por sinal dura 1 mês inteiro (cidade de vagabundos, nem o Carnaval dura tanto), receberá uma bela quantia em dinheiro, e mais um prêmio especial que é dado pelo rei. No entanto, eu não recomendo que você tente vender este item no bazar da cidade. Antes dos Estados Unidos da América criarem o FBI, já existia uma agência responsável pela fiscalização do planeta. E para tanto, se você for pego vendendo muamba, vai levar uma sova do rei, e sua filha irá perder reputação na sociedade (vai ser taxada de traficante de quinta).

PARTE IV: CONCLUSÃO

Vamos lá! Após jogar este jogo umas 10 vezes (até o fim), pude concluir que é muito bom, pois possui uma variedade muito grande de opções e de finais que podem ser obtidos. E com certeza, dá um aperto no peito quando os 8 anos se passam (o pai não pode levá-la ao motel, pois o jogo termina. Droga!). Este tempo todo leva em média de 2 a 3 horas para se passar, caso você jogue direto. Mas caso você não tenha saco o suficiente pra ficar usando e abusando da pirralha, basta salvar o jogo e voltar depois. Não sei qual o ponto negativo que eu poderia atribuir a este jogo. Quer dizer, sei sim. O jogo foi feito para rodar sob o sistema DOS. Para tanto, há muita gente que utiliza o Windows XP, e não consegue mais rodar nem o esquecido Doom (clássico da época). Bom pessoal, graças a Deus alguém pensou em nós, e desenvolveu o DOSBox. É um programa excelente para simular o DOS. Ele é praticamente auto-explicativo, mas caso alguém tenha uma dúvida de como se utilizar, por favor, entrem em contato comigo através dos comentários do site. Fora isto, o jogo é todo em inglês (o que é menos mal, imagina se fosse em japonês, aí eu preferiria contar grãos de areia). Ah, antes de eu encerrar, gostaria de disponibilizar o link do jogo para download.

PARTE V: AGRADECIMENTOS

É gente, outro Fusca que foi pago! Gostaria de agradecer ao Galford, por ter avaliado esta matéria (como é de praxe), ao Cadu, por mandar ver na censura (esse é meu garoto!), ao Shin-Chan (este é básico), ao site Vham por disponibilizar o link para download do jogo (valeu povo!), ao site DOSBox (maravilha de emulador!) e ao site KKPMC, por me oferecer as imagens e uma base para adaptação da tosquice (thanks a lot Kit ^^). Valeu de novo meninos e meninas, até a próxima babaquice!

sexta-feira, janeiro 07, 2005

Lobo (não tão) Solitário

Lobo Solitário está de volta às bancas, agora pela editora Panini. Antes, já havia sido publicado pelas editoras Nova Sampa e Cedibra, mas ambas cancelaram o título antes de seu término. Criado por Kazuo Koike e Goseki Kojima, esse mangá narra a história de Itto Ogami, um ronin que vaga pelo Japão do período Edo junto com seu filho Daigoro, oferecendo seus serviços como mercenário assassino.

Publicado pela primeira vez no EUA na década de 80, Lobo Solitário pode ser considerado um dos pioneiros da invasão dos mangás que vemos hoje em dia no mercado de quadrinhos ocidental. Sua narrativa cinematográfica, detalhamento histórico, e belas cenas de ação, influenciaram fortemente vários autores ocidentais, cujo mais emblemático, é certamente Frank Miller.

Apesar de toda violência, destruição e morte presente nas páginas de Lobo Solitário, o grande tema dessa história é a relação de Itto Ogami com seu filho Daigoro, e por sua vez, a sintonia que há entre ele e seu pai. Tendo isso em vista, muitos podem estranhar o fato do mangá se chamar Lobo Solitário. Aqueles que conhecem o título original, Kozure Ookami (algo como “O lobo e seu filhote”), podem considerar o título em português uma péssima tradução, mas se levarmos em consideração que o “Lobo Solitário” não se refere à condição física do protagonista, mas sim a sua condição espiritual, então podemos dizer que o título em português não é tão desconexo assim.

A relação que há entre Daigoro e Itto Ogami está pautada pela estrutura arquetípica da sintonia do herói mitológico com seu pai divino-monstruoso, descrita por Joseph Cambell em O Herói de Mil Faces. O pai divino só pode aceitar seu filho herói se este for capaz de passar pelo rito de iniciação. Esse rito pode ser um teste, uma tarefa, uma jornada, ou até mesmo um duelo do filho com seu próprio pai. E daí vem o aspecto monstruoso dele, pois o pai não terá pena em matar o seu próprio filho se este não se mostrar capaz de pertencer a sua linhagem. Isso fica muito bem ilustrado na última história da primeira edição. Itto Ogami executa um teste de iniciação para seu filho. A escolha de Daigoro determina se ele retornará aos seios de sua própria mãe, e em termos espirituais, manterá sua pureza infantil, ou se passará à esfera do pai, representante do mundo adulto, violento, feroz.

E é esse processo que acompanharemos ao longo dos 28 volumes de Lobo Solitário. Através da jornada, a relação de Itto Ogami e Daigoro se tornará mais forte. Daigoro irá cada vez mais abandonar a esfera infantil e adentrar a esfera adulta, se tornando desta forma, seu próprio pai, e assim, fechando o ciclo que Itto Ogami iniciara. Tendo isso em vista, podemos concluir que Itto Ogami e Daigoro “são” o Lobo Solitário, um ser uno em sua multiplicidade.

Por fim, só me resta de dizer que o único defeito dessa edição da Panini de Lobo Solitário é seu preço, que mesmo para um gibi de 300 páginas está caro. Infelizmente a elitização é um mal da qual sofre todas a histórias em quadrinhos no Brasil hoje em dia, parece que os editores esqueceram que quadrinhos é cultura de massa. Mas se você tem treze reais por mês sobrando, e quer gastar com algum quadrinhos de qualidade, Lobo Solitário é a sua escolha.

segunda-feira, janeiro 03, 2005

Os Cangaceiros do Zodíaco

Por Razor

Olá a todos, como vão vocês? E a família, tudo bom? Espero que sim. Já faz um bom tempo que eu não posto nada, não é verdade? Gostaram daquela matéria do Ultima Online? Bem, estou tentando a sorte novamente aqui na M.E.D.I. com esta Mangazona dos Cavaleiros do Zodíaco. Espero que gostem dela!

INTRODUÇÃO

Mitsubishi Kido - O avô adotivo de Ratori Kido. Na versão do anime, ele estava nas ruínas da Grécia, quando simplesmente foi abordado por um cidadão lhe pedindo auxílio. Logo estranhou, pois não estava no Brasil. Ainda assim, era Faioros, o cangaceiro de Sagitário, carregando a amante nos braços e antes de poder mencionar qualquer palavra, ele acabou indo pro saco. Ratori pediu para ser levada por Mitsubishi Kiddo, que lembrou-se que havia perdido seu Tamagochi durante a viagem, e já que não tinha ninguém para fazer companhia, decidiu levá-la para casa, dar um banho e dar de comer (lalala). Além disso, ele acabou passando a mão na armadura de ouro de Faioros, com a intenção de vendê-la na Praça da Sé. Não obtendo sucesso, decidiu colocar a armadura a prêmio em uma "briga de galos", que iria realizar futuramente com algumas crianças supostamente dotadas de poderes sobrenaturais (sim, aquelas que juram de pé junto que foram algum dia abduzidas por extra-terrestres).

Ratori Kido (ou simplesmente, Datena) - A Maria do Bairro do anime. Todo mundo quer matar ou morrer por ela. De acordo com a mitologia grega, Atena já nasceu adulta, de dentro da cabeça de Zeus aberta por uma machadada de Hefesto. No entanto, no anime, Atena nasce a cada 200 anos (não sei de onde, pois a mãe e o pai não aparecem no anime. Afinal, quem pariu essa criatura?) para trazer a paz, a ternura, a purpurina e a frescura para o mundo (fonte: toalha de papel do Mc Donald's). Pois é, a japonesada fumou um baseado do tamanho de um bonde para inventar tanta babaquice. Antes de se tornar deusa da batata doce, era repórter do programa Cidade Alerta, e vivia fazendo piadinhas sarcásticas dos negos que iam parar na terra de Hades. Em uma determinada parte do anime, foi ameaçada de morte pelo ex-namorado Aiolha, devido ao par de chifres que lhe foi colocado no passado. No entanto, a armadura de Sagitário foi possuída pelo espírito do irmão Faioros (que nem no filme Ghost), que depois de dar uma surra no infeliz, ainda tirou sarro da cara dele: "Hahaha!!! Além de corno, é frangote".

OS CANGACEIROS DE BRONZE

C&A (de Pégaso) - O cangaceiro mais "oba-oba" do anime. Sempre é o que mata o inimigo mais ferrado e todos os outros ficam babando ovo etc. É um dos mais concorridos para o troféu "banho de mel" na categoria "herói de anime" (disputa acirrada com Kenshin). Vive numa busca frenética pela irmã Keika, pois quando ele era pequeno, ela pegou dinheiro emprestado com ele e se mandou com o namorado. Provavelmente é o cangaceiro mais broxa do anime, tem sempre um monte de mulher que está afim dele, mas ele nunca toma nenhuma iniciativa. Vou te contar hein, acho que os criadores desta série são tudo um bando de pula-pocinhas... Mas isto não vem ao caso. Seu golpe mais poderoso é o Arrastão de Pégaso, que convoca uma centena de maloqueiros para bater a carteira do inimigo e pisoteá-lo até a morte.

Sheraku (de Dragão) - Também conhecido como Mr. Magoo, é o cangaceiro que vive furando os próprios olhos, mesmo quando este recupera a visão. Ô caracas, tem tanta gente precisando de olhos nesse mundo e o cara fica se cegando! É mole? Outro cangaceiro sem iniciativa. Tem a sua disposição uma garota que faria de tudo por ele 24 horas por dia (eita!), e ainda assim não toma proveito disso. Vou te contar, se esse cidadão tivesse sido treinado por um brasileiro... Seu golpe mais poderoso é o Cólera do Bufão, onde ele come 10 pizzas de alho e óleo, 5 travessas de macarronada, bebe 2 litros de Tubaína e solta tudo pelo ânus numa rajada só, matando o inimigo instantaneamente (bomba química).

Myjoga (de Cisne) - O cangaceiro da terra do Papai Noel, também conhecido como "bebê chorão da mamãe". Teve como mestre cangaceiro o produtor do filme Lua de Cristal, da Xuxa. Possui uma terrível fraqueza em relação a sua mãe, pois antes de chegar na terra do gelo, ela havia lhe prometido comprar jujubas, só que como o navio acabou indo pro saco (no estilo Titanic), ela acabou indo pro limbo e Myjoga ficou literalmente a ver navios (hehehe). Seu golpe mais poderoso é o Pó Alucinante, causando uma overdose de cocaína no inimigo (igual a do Mamute), que o faz morrer em seguida.

Ikkifedô (de Fênix) - Trocou de lugar com a sua irmã, ops, irmão Shunpeta, para assistir a um show de heavy metal que iria acontecer futuramente na ilha da Rainha da Morte (lugar bem conveniente). Mas chegando lá, ficou puto da vida, pois além da banda ter dado um cano, ele não tinha mais como voltar para casa. Vive entrando em crise quando se lembra da namorada de infância chamada Mesmeralda, que acabou sendo detonada pelo próprio pai por ela ter mexido em suas revistas pornográficas. Seu golpe mais poderoso é o Golpe Fantasma Gasparzinho Quer Ser Meu Amigo, que faz o inimigo sair correndo de medo (igual no desenho).

Shunpeta (de Andromeda) - O boiola dos cangaceiros de bronze. Vivia sendo molestado sexualmente pelo mordomo Jatcumi (que parece mais uma adaptação mal-feita do jogador de futebol Roberto Carlos), levando várias chicotadas (ao estilo sado-mazoquista). Após o sorteio do concurso de top-models, ele acabou trocando de lugar com seu irmão Ikkifedô, pois não gostava muito de metal (mas não tinha nada contra canos). Seu golpe mais poderoso é o Tempestade Frescorosa, fazendo com que o inimigo adquira complexo em relação ao peso e acabe tendo um chilique por não agüentar tamanha frescura.

OS CANGACEIROS DE OURO

Muuuuu (de Vaca, ops, de Áries) - O único cangaceiro que possui chifres fora do coco. Antes de se tornar cangaceiro de ouro, costumava trabalhar em uma oficina, fazendo funilaria e martelinho de ouro em batidas de automóveis. Até que um dia recebeu uma proposta, e largou essa vida de pé-rapado para se tornar o funileiro particular do mestre do Sanitário. Seu golpe mais poderoso é o Extinção Destelar, fazendo com que a casa do inimigo seja hipotecada e toda renda familiar seja desviada em benefício do governo.

Aldebarango (de Touro) - O saco de pancadas do anime. Sabe aquela famosa história "sempre tem que morrer pelo menos um", igual nos filmes de terror? Então, só porque o cara é brasileiro, é sempre o primeiro a ir pro saco. No entanto, no Pride, quem domina é o Brasil, tá ligado truta? Mas voltando ao assunto... Antes de se tornar cangaceiro de ouro, nosso amigo aqui vivia botando chifres na mulherada do bairro. Após sofrer vários processos do Ratinho e do Celso Russomanno, ele decidiu fugir do país (foi parar na Grécia). Depois de algum tempo vendendo muamba, conseguiu um bico no Sanitário e acabou herdando a armadura de touro, e dois chifres, por ironia do destino. Seu golpe mais poderoso é o Par de Chifres, onde ele leva a namorada do inimigo para jantar, bota ela gostosinho na cama e... erm lalala...

Sagalinha (de Gêmeos) - O único cangaceiro que possui duas faces. Antes de parar no Sanitário, este exercia muito bem sua dupla personalidade. Sabe, de dia era menino, de noite era menina, fazendo ponto na Augusta e na Frei Caneca (para quem não conhece São Paulo, são dois points de travecos). Após arrumar encrenca com o seu cafetão, a menina ficou magoada e decidiu partir para a Grécia em busca de homens fortes e marombados. Apesar de ter conseguido uma posição na casa de gêmeos, a fofinha queria ser a rainha, então numa noite se vestiu de Rogéria, bateu na porta da sala do mestre e foi traçado. Depois do ato, Sagalinha descaradamente mostrou a pingola para o mestre, que não agüentando tamanha vergonha e nojo, decidiu suicidar-se. A partir daí, ele se tornou a rainha, ops, o rei do sanitário. Seu golpe mais poderoso é o Outra Perversão, fazendo com que o inimigo se apaixone freneticamente por travestis, e após voltar a si, se atire janela afora.

Máscara de Majora (de Câncer) - O cangaceiro mais cruel do anime (pior que professor de matemática). Antes de ingressar neste ramo, ele era ator de quinta, e trabalhou como protagonista em um filme dirigido pelo eterno Zé do Caixão, chamado Máscara da Morte. Devido ao fracasso de bilheteria, o tosco acabou sendo taxado por este apelido, e decidiu então mudar de nome (que acabou servindo de inspiração para dar origem a uma continuação ridícula da famosa série Zelda, da Nintendo). Em uma determinada parte do anime, ele foi surpreendido pela irritação de Sheraku, que percebeu várias cabeças de moleques que vendiam bala e limpavam o pára-brisa de automóveis no farol, espalhadas pelo chão de sua casa. Seu golpe mais poderoso é o Sondas do Inferno, fazendo com que o inimigo seja submetido a um profundo exame de câncer no ânus, com várias sondas enfiadas pelo corpo (uh-uh-uh).

Aiolha (de Leão) - O irmão mais novo de Faioros. Antes de se tornar cangaceiro de ouro, sofreu todas as pitangas possíveis e imagináveis, pois Faioros simplesmente fugiu com a namorada dele e a cidade inteira ficou sabendo. Por aí podemos concluir que todo mundo ficou tirando sarro da cara do infeliz (típica cena de seriado nacional). Depois disso, ele teve de dar duro (hmmm...) para recuperar sua reputação. Seu golpe mais poderoso é o Cláusula do Poder, fazendo com que seja inserida no contrato de cangaceiro uma cláusula que reduz o salário do inimigo, aumenta os descontos no holerite, não se responsabiliza por horas extras, não permite férias, não dá direito ao 13º e se for caso de doença ou morte na família, somente não é descontado o dia, se for informado com antecedência.

Tchaka "na butchaka" (de Virgem) - O cangaceiro mais próximo de Deus. Costuma jantar na casa dele, jogar gamão, e ainda possui a linha direta do chefão. Antes de se tornar cangaceiro, estudou junto com seres como Walter Mercado, Mãe Dinah e Chico Xavier. É o único ser que nasceu na Índia, mas apesar disso é loiro de olhos azuis e acredita em Buda. Seu golpe mais poderoso é o Tesouro do Réu, onde este deixa o advogado do inimigo sem poder de defesa ou ataque na hora do julgamento.

Rosho (de Libra) - Também conhecido como Mestre Ancião, é o cangaceiro mais velho de todos. Seu personagem foi aparentemente baseado no famoso Mestre Yoda, de Guerra nas Estrelas. Ou seja, não passa de um plágio descarado, tá sacando? Há muitos e muitos anos, na época do guaraná de rolha, Rosho participou de uma mega-suruba (envolvendo a Dercy Gonçalves) no sanitário, e foi um dos sobreviventes. Para compensar esta notável conquista, ele recebeu um frasquinho contendo a água da fonte da juventude (isso mesmo, igual àquela do Pica-pau) para prolongar a sua existência (que nem a do coelho da Duracell). Antes de se tornar mestre de artes marciais, era em primeira instância, um velho tarado que abusava de criancinhas (estilo Michael Jackson). Mas como a pipa do vovô não subia mais (ainda não tinham inventado o Viagra), ele desistiu dessa vida de vovô safadão e passou a transmitir seus ensinamentos a Sheraku. Seu golpe mais poderoso é o Cólera dos 100 Bufões, fazendo com que o inimigo morra asfixiado com uma centena de gases diversificados, que são expelidos pelo orifício anal do velho (por isso que ele é roxo).

Biro Biro (de Escorpião) - O cangaceiro mais venenoso do anime (igual a vilão de novela mexicana). Antes de se tornar cangaceiro de ouro, este cidadão atuava como vocalista em um cover da banda germânica Scorpions. Em uma determinada parte do anime, Biro Biro e Afroditchê foram enviados para a ilha de Andromerda a pedido de Sagalinha, para matar Acordeon, o cafetão, ops, mestre de Shunpeta, com o objetivo de minar a concorrência. Seu golpe mais poderoso é o Agulha Escarlaids, que infecta o inimigo com o vírus mortal da AIDS, despachando-o para os quintos.

Faioros (de Sagitário) - O cangaceiro de ouro mais conceituado do anime. Possui o incrível dom de encarnar na própria armadura de ouro, mas não consegue fazer isso com seres humanos, ou muito menos voltar a vida (isso me lembra uma história do Penadinho). É mais um que se meteu no rolo da Datena. Após Sagalinha consultar o espelho mágico da Branca de Neve, e descobrir que Datena era a mina mais "uh tererê" da parada, tentou brutalmente assassiná-la (puxando os cabelos e metendo as unhas, ou seja, tentando imitar mulher). Mas como Faioros estava escondido no armário (mais um, mais um...), decidiu levá-la embora antes que o trouxa de seu irmão pudesse acordar com a baixaria à João Kleber. Shurrasco, que estava acordado assistindo ao Cine Privê, acabou percebendo o escândalo que estava acontecendo no morro e decidiu ir até lá passar a faca. No entanto, acabou percebendo que a fita era mais séria, e que ele estava sendo chifrado (ninguém mandou querer ser tão leal a Datena, palhaço... Mais um com um merecido par de chifres). Não agüentando tamanha humilhação, decidiu meter a peixeira em Faioros, enquanto Datena fugia com ele (para os braços do próximo). Seu golpe mais poderoso é o Provão Sacânico, fazendo com que o seu inimigo seja reprovado no vestibular da Fuvest e da Unicamp, ficando assim condenado a estudar em universidades particulares (e conseqüentemente ir a falência com as mensalidades).

Shurrasco (de Capricórnio) - O cangaceiro mais fiel a Datena (ou seja, o mais burro). É também a adaptação mais mal feita de todas. Ele é fruto de uma mistura da cultura grega, com a cultura cellta, em um anime japonês (e depois, botam a culpa na Globalização). Antes de conseguir esse trampo, trabalhava cortando cana no sertão. Em uma certa parte do anime, encontra Faioros tentando dar um gato em Datena, mas como também possuía laços amorosos com ela (e quem neste anime não tem!), decidiu partir com tudo para o ataque (igual ao Bin Laden), e mandou Faioros para o limbo. O seu golpe mais poderoso é o Escaidebunda, onde o cangaceiro literalmente se torna espada, ou seja, passa a cortar para todos os lados possíveis e imagináveis... ui ui uiii...

Camus Erectus (de Aquário) - O cangaceiro mais frio do anime (é tão frio, que não consegue nem sorrir, ou fez plástica, ou congelou). Antes de ingressar nesta profissão, Camus recebeu um daqueles e-mails promocionais de spam, que o fez acreditar que ele iria ficar rico vendendo gelo para esquimós através de um método composto por 120 lições (em fitas de VHS). Após alguns anos sem obter o sucesso que estava esperando, ele desistiu dessa profissão imbecil para se tornar cangaceiro de ouro. Seu golpe mais poderoso é o Execução Nahora, fazendo com que o inimigo seja transportado para o meio da torcida do Corinthians, vestindo a camiseta do Palmeiras.

Afroditchê (de Peixes) - Como já foi dito antes, sempre tem que ter um boiola no meio de uma classe de cangaceiros e esse não foge à regra. Antes de conseguir essa profissão, trabalhava no salão do Jassa, produzindo a peruca do Silvio Santos. Nos eventos de anime, pinta o cabelo de vermelho e faz cosplay do Kurama de Yu Yu Hakusho (com direito a rosa e tudo). Seu golpe mais poderoso é o Cravo e a Rosa, onde ele fica cantando e dançando ciranda cirandinha até o inimigo não agüentar mais e cortar os próprios pulsos.

CURIOSIDADES

* Para quem não se lembra, quando os Cavaleiros do Zodíaco vieram para o Brasil, foi desenvolvida uma fanfic chamada Los Caballeros Ridiculos, no estilo hentai.

* Se um golpe jamais funciona pela segunda vez contra um cangaceiro, então como é que eles sempre conseguem matar os inimigos com os mesmos golpes?!

* Verdade seja dita: O golpe Pó Alucinante de Myjoga, jamais funcionaria contra o Maradona.

* O lutador de boxe Mike Tyson se inspirou em C&A, em sua luta contra Evander Hollyfield (onde o Mike utilizou-se de um método alternativo, porém, tão eficiente quanto).

* O cangaceiro boiola da categoria "armadura de prata" é Mistyca (aquele jeca que foi detonado por C&A no início do anime). E por incrível que pareça, todos os cangaceiros de prata fazem referência a ele antes de começar uma luta contra os cangaceiros de bronze, o que significa que... lalala...

* Como deve ser a vida de um cangaceiro de ouro? Será que eles batem o ponto todos os dias? E como fazem para ir ao banheiro? Ou simplesmente ter atividades sociais? Com certeza essa deve ser a pior profissão existente.

* A idade dos cangaceiros do anime foi feita para ser questionada. Apesar de parecerem ter mais de 20 anos, estes cidadãos possuem uma faixa etária de 13 a 15 anos (com exceção dos cangaceiros de ouro). Apesar disto, eles já se preocupam com problemas da realidade, e possuem o incrível dom de refletir sobre a própria existência. É mole?!

* Na versão em mangá, Mistubishi Kido poderia ser comparado com o Pelé em relação ao número de filhos. O que mais me intriga, é o fato de que Shunpeta e Ikkifedô serem irmãos da mesma mãe. Acho que depois de um tour pelo mundo, este cara acabou se esquecendo que já havia traçado a mesma mulher.

IMAGENS


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Bom gente, é isso... Gostaram? Ficou tosco, eu sei... Ainda assim, digamos que terminei as prestações do meu Fusca... "É velho, mas tá pago". Gostaria de agradecer o Galford por ter me sugerido algumas idéias, e por ter avaliado o conteúdo obsceno e impróprio desta matéria (vou contar tudo para a sua mãe, hein seu pervertido), ao Cadu por ter editado a matéria e publicado no site da MEDI (Charles Edward, com altos picotes fazendo jus às suas mãos de tesoura), o Shin Chan por me auxiliar com algumas idéias cretinas (menininho desprezível), o site Cavaleiros do Zodíaco por me oferecer as imagens desta matéria (muchas gracias compadres), o site Death Mask Homepage que me forneceu imagens para serem editadas com os balões (acho que vocês nunca irão ver esta matéria, mas enfim) e a você leitor(a) por ter tido o desprazer de aturar tanta babaquice (merece o famoso Troféu Joinha)... Obrigado!

Compare Preços

Leia Também

Marcadores: , , ,