quarta-feira, outubro 12, 2005

Pacotinho de Gibis #01

Por Ricardo Bittencourt

Toda semana, reviews dos gibis que o Ricbit leu. Você está avisado de antemão que os reviews podem conter spoilers, mas eu não pego pesado neles. As notas são as seguintes:

[DUCA] Esse é muito bom, compre a versão nacional quando sair.
[BOM] Esse é melhor que a média, o que é difícil, considerando a média.
[OK] Esse é minimamente legível, mas não compre, pegue emprestado.
[RUIM] Me arrependi de ter perdido tempo com isso.

Top Ten: The Forty-Niners HC

[DUCA] É o Alan Moore e o Gene Ha retornando à série, mas dessa vez a arte é pintada ao invés de colorizada. Na série original, é citado que Neopolis foi construída por super-vilões, e aqui eles explicam o porquê. Na nossa realidade real, no fim da segunda guerra, os aliados perdoaram e incorporaram todos os cientistas nazistas, como o Von Braun. Na realidade da ABC aconteceu o mesmo, só que os cientistas eram cientistas malucos, e seu primeiro contrato com o governo foi projetar a cidade. O Alan Moore é bom mesmo. A história é contada do ponto de vista do Jetlad, que na série original era o capitão de polícia, e vocês lembram que ele era gay. Nessa edição, ele ainda não é da polícia e ainda não sabe que é gay, e vai dar um jeito nos dois itens ao longo da história. Muito bom mesmo.

Top Ten: Beyond The Farthest Precinct #1

[BOM] Essa é a segunda temporada do Top Ten, mas o Alan Moore não está escrevendo, só está supervisionando. Não é tão bom quanto o original, mas é bem legal também. Os desenhos são do Jerry Ordway, então dá um contraste bem grande comparado com o Gene Ha, mas os cameos ainda estão no background se você procurar. Algumas sacadas são boas, como os robôs se drogando com software pirata, e depois viajando "pô mano... o universo é open source...", pra logo em seguida aparecer um robô mais revoltado e xingar o outro, mas ao invés do clássico kiss my ass, é kiss my usb!

New Warriors #4

[BOM] A idéia dessa vez é que os New Warriors fizeram contrato com um reality show, e suas heroizices são gravadas e passadas na tv. O desenho é simpático, feito no estilo cartoon/animated. A intenção é ser cômico mesmo, e pra isso os New Warriors tem um novo integrante: Microbe, que tem o super-poder de conversar com bactérias. O autor está ligado nas notícias, o super-vilão da edição tem uma fábrica de carros movidos a gatinhos.

Adventures of Superman #644

[RUIM] Baixei de curiosidade, e é ruim de doer. Continuação direta da Identity Crisis. Pra quem não entendeu o mote da série, eu explico. Identity Crisis não foi feita com intenção de deixar os heróis mais realistas ou coisa assim. Não, ela foi feita de olho no cinema. A maior arrecadação das editoras atualmente "não" é vender gibi, mas sim licenciar personagens pra filme. Só que pra cada personagem que é efetivamente licenciado, tem outros trinta que são ruins demais pra isso. O mote da Identity Crisis é tentar consertar os vilões bobos dos anos 50, dizendo que eles não eram bobos de fato, é que a Zatanna fazia lobotomia nos que descobriam a identidade secreta deles. Na série original, os vilões eram o Bumerangue, o Dr. Luz e o Calculadora, todos de terceira linha. Nessa edição do Superman, o vilão é o Toyman. O problema é que uma idéia ruim não se salva simplesmente tornando as histórias sombrias, o Toyman é ruim porque é uma idéia besta mesmo.

Defenders #2

[OK] Na década de 80, a Liga da Justiça era escrita pelo Giffen e pelo DeMatteis como um gibi de humor com super-heróis. Pra isso, escolheram explicitamente heróis de segunda, como o Besouro Azul e o Gladiador Dourado. Agora os dois foram pra Marvel fazer a mesma coisa, e escolheram os Defensores pra isso. Convenhamos, os Defensores é dos piores grupos da Marvel (Dr. Estranho, Namor, Hulk e Surfista Prateado). Eles não funcionam em conjunto. E se não funcionam a sério, deveriam funcionar como piada. Hum. A idéia foi boa, mas a execução não me agradou, pelo menos nesse número.

Defenders #3

[BOM] Já no número 3 melhora, com uma sacada boa que vale o gibi. O Hulk é preso pela irmã do Dormammu, que por acaso é ninfomaníaca. Vendo que o Hulk é bem dotado, ela faz o serviço com ele. Só a guria é tão poderosa que dá uma canseira no Hulk(!), e ele fica tão relaxado que volta a ser Banner, e não há provocação que faça ele voltar a ser Hulk depois. Curti.

Exiles #70

[OK] Exiles é competente, mas nunca me atraiu de fato. Nesse número, eles entram no House of M pra tentar devolver o Beak pra sua família, mas no House of M a Angel agora é uma supermodelo mutante. A impressão que deu é que tudo isso é uma desculpa pra matar a Angel e deixar o Beak no time. so-so.

JSA Classified #3

[OK] Dizem que dessa vez vão consertar a Power Girl. Veremos. O problema todo é que a Power Girl perdeu a função depois da Crise. Antes, ela era um personagem bem definido: a Kara da Terra-2, ou seja, o equivalente da Supergirl no mundo da JSA. Depois da Crise, ninguém conseguiu bolar uma nova origem pra ela, aliás cada escritor novo que vinha apagava a origem anterior pra fazer uma nova, o resultado foi uma salada que detonou a personagem. Dessa vez "parece" que vai. O próximo número é que encerra a história, mas se eu consegui deduzir o final, vão explicar a Power Girl como sendo... uma personagem que sobreviveu à Crise. Faz sentido, e ainda liga com a vindoura Infinite Crisis.

JLA Classified #12

[RUIM] Um texto original de Marte veio parar na Terra, e esse texto contém um vírus memético, quem consegue decifrar o que está escrito abre um portal pro Inferno. É do Warren Ellis, mas eu não curto o Warren Ellis. O Morrison usou a mesma idéia nos Invisíveis de maneira muito melhor.

New Avengers #11

[RUIM] New Avengers é consistentemente ruim, não teve um número que prestasse. Nesse aqui, um escritor americano escreve uma história sobre o Japão, e na grande maioria das vezes isso dá merda. Bem, deu. Mas a história é irrelevante, e o gibi vai vender só baseado no mistério sobre quem é o "Ronin" na realidade.

Ultimate Iron Man #4

[OK] Estou gostando da série, mas nada especial até agora. O escritor é o Orson Scott Card do Ender's Game. Vale pela novidade de ser uma abordagem realmente nova do Iron Man, mas só.

Kitty Pryde - Shadow and Flame #3

[OK] Dessa vez, um escritor japonês está escrevendo sobre o Japão. Kitty volta pro Japão pra encontrar o mentor Ogun. É sensivelemente melhor mesmo. O desenho é do Paul Smith, o mesmo cara que desenhava os X-Men na época da história original do Ogun, então vale pelos desenhos.

Omac Project #6

[BOM] Sabe que eu curti Omac Project? Eles estão fazendo muita bobagem nessa DC pós-Identity Crisis, mas pelo menos uma coisa de boa aconteceu: a DC está imprevísivel. Essa série realmente me surpreendeu, você não esperaria que eles construíssem um vilão durante um ano inteiro (o Maxwell Lord versão Identity Crisis), pra matar o sujeito no número 3 da série. Ao chegar no 6, a batalha final tem relevância, porque você realmente não sabe se os heróis lá vão morrer ou não. No final os heróis ganham, mas eu não estava certo disso antes de ler o final. Isso foi bom.

The Sentry #1

[RUIM] Eca. Super-herói muito poderoso que tem ímpetos de salvar o mundo a todo momento, mas fica com remorso por não poder salvar todo mundo. Nada de novo. A mesma história foi contada pelo Busiek no Astro City #1 e ficou muito melhor.

Wha Huh

[RUIM] Era pra ser uma paródia no estilo What If, mas não teve graça. Supostamente, uma das grandes gags é "o que aconteceria se todos os vingadores tivessem barba?" Aí tem uma cena do Iron Man e da Scarlet Witch com barba. Duh. Humor pra retards. Salva só "o que aconteceria se a internet existisse na década de 60", com o leitor reclamando que o Demolidor mudou de traje, que essa roupa vermelha é ruim, e devia continuar com o uniforme amarelo que é como todos gostam.

Wolverine #32

[DUCA] Gostei dessa. Faz parte da cronologia o Wolverine estar na Europa durante a segunda guerra, o Millar só estendeu isso dizendo que em algum ponto, o Wolverine esteve preso num campo de concentração. O comandante de campo, querendo fazer uma demonstração de poder para os detentos, dá um tiro na cabeça de um prisioneiro, mas o prisioneiro não morre. Botam o cara no crematório, e ele não morre. Chamam um pelotão de fuzilamento, e nada do cara morrer. Boa, boa, foi feita no estilo Tales of the Crypt e contada como uma história de terror, ficou bem legal.

Young Avengers #7

[OK] Compentente. É a versão da Marvel para os Teen Titans, tem o capitãozinho américa, o hulkzinho e o thorzinho. Parecia estúpido à primeira vista, mas não ficou ruim.

Y The Last Man #36

[DUCA] Uma das poucas séries regulares que é consistentemente boa. Como o Yorrick finalmente chega na Austrália na edição seguinte, pausa pra um flaskback dos tempos dele com a namorada. Ele tinha fetiche com a Zatanna. Eu entendo ele.

Y The Last Man #37

[DUCA] O Yorrick finalmente chega à Austrália, e o escritor, mostrando que não tem medo de mudar o status quo da revista, faz uma jornalista conseguir prova de que ainda existe um homem no planeta, e pretende publicar pra todos verem. Deu coceira pra ler o próximo.

Captain America #10

[RUIM] A Marvel tem uma política muito firme sobre mortes: "Todo mundo que morre, volta (exceto Bucky e o Tio Ben)". Pois essa saga do Capitão América trazia justamente o Bucky de volta. E pior, tava bom o gibi, mas aí eles resolvem fazer um crossover com House of M no meio da trama e estragam todo o clima da narrativa. Espero que volte ao normal no próximo. número.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home