sexta-feira, novembro 11, 2005

Rob LieFeld: Por que Odiamos Ele?

Por Rodrigo Piolho (Publicado originalmente em 07/05/2001)

Em uma linha: porque o cara é ruim de serviço. Simples. Em uma explicação mais abrangente, pode-se dizer que ele é não é só presunçoso, como mal-caráter, caloteiro, não sabe desenhar (escrever menos ainda) e ainda por cima tem a cara dura de se considerar à altura de grandes gênios, como Stan Lee e Jack Kirby. É mole?

Quando começou, até que a maior "persona non-grata" dos quadrinhos atuais prometia alguma coisa. Admito que o primeiro trabalho dele, a mini-série "Rapina e Columba" é bem legal. E é só! Os elogios devem ter subido à cabeça do menino, ainda mais quando o número de estréia da X-Force bateu todos os recordes de venda nos EUA (só americano, mesmo!). Aí ele se juntou à uma galera muito competente que, infelizmente, encheu a bola do guri mais ainda na fundação da Image e ele despirocou de vez. Mas, como diria Jack, o Extripador, vamos por partes.

Para começar, vamos falar dos personagens criados pelo doidão. Na Marvel foram dois os notáveis: Cable, um mutante cujos poderes eram a incrível capacidade de carregar um trabucão de 12 metros (mais tarde perceberam que o cara era mutante e deveria ter poderes. Aí Louise Simonson deu telecinésia e telepatia para ele, pra não complicar muito sua vida.); e Deadpool. No entanto, devemos questionar até onde foi a influência do co-criador do tagarela, o competente Fabian Nicieza. Afinal, Deadpool é muito duca pra ter sido criado só pelo Liefeld.

Na Image, o cara resolveu "criar" personagens à rodo, todos muito originais: O Youngblood não parece nem um pouco com os Vingadores, a Brigada não parece com os X-Men, o Troll não é o Wolverine nanico, Glory não é a Mulher-Maravilha escarrada (nem foi desenhada pelo Deodato) e Supreme não é o xerox do Super-Homem. Sem falar de outros, como Profeta e cia. Ou seja, como criador de personagens ele daria uma bela máquina de xerox. Sua capacidade de escrita então é fora do comum. Quem é Neil Gaiman perto da sabedoria e dos argumentos brilhantes desse sujeito (aos desavisados: Estou sendo MUITO sarcástico).

Como desenhista então é que ele brilha. Na obra ganhadora do Eisner Award "Sérgio Aragonés massacra a Marvel", o espanhol cita uma frase que deve ser o catecismo de Liefeld: "Outros artistas são lentos...perdem tempo com besteiras como perspectiva e anatomia." Liefeld segue isso à risca: braços gigantes, biceps maiores que os rostos dos personagens, pernas maiores do que as da Fairchild (e sem uma explicação para tal) e coisas assim. Há até mesmo uma escola de desenho nos EUA que usa os trabalhos de Mr. Liefeld como exemplos do que não se deve fazer.

Aí ele saiu da Image e fundou uma editora própria. E foi fazer os "Heróis Renascem" para a Marvel, pegando Capitão América (6 edições) e Vingadores (7). Só fez merda. James Robinson e Walt Simonson substituiram-no e fizeram, em uma edição, um trabalho muito melhor do que a anta do Liefeld em todo o período em que esteve no projeto.

Eu poderia falar muito ainda do Liefeld, como por exemplo, do fato dele ser o único homem na face da terra que conseguiu que seus títulos (Supreme e Young Blood) escritos por Alan Moore fossem cancelados quando estavam em suas melhores fases. Ou do fato dele não pagar os caras que trabalham pra ele (Roger Cruz que o diga) e coisas assim. Mas vou parar por aqui.

Os fãs que me perdoem, mas ele serve mesmo é pra fazer propaganda de jeans. E, o pior de tudo é que, vira e mexe, ele desenha pra Marvel. Por isso a editora tá nessa pusta pindaíba, rezando pro Quesada salvá-la.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home