terça-feira, fevereiro 28, 2006

homemgrilo.com

O bom filho a casa retorna. O Homem-Grilo está de volta ao servidor do Gardenal.org. E mais! Agora com um domínio próprio. Então a partir de agora para acessar o site do Homem-Grilo, basta apontar o seu navegador para homemgrilo.com. Estamos ficando frescos, não? Já a Grilo Caverna ainda irá continuar por aqui por algum tempo, já que o sistema movable type do Gardenal está dando alguns problemas e o Furnari não está podendo recriar a conta do meu blog por lá. Mas sem problema, vou me virando com o Blogger enquanto isso. Aliás, muito obrigado ao Furnari por ter me ajudado com os problemas técnicos do site. Valeu!

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Anima Mundi 2006 Abre Inscrições

As inscrições pro Anima Mundo 2006 já estão abertas. Se você é o tipo de cara que quando criança adorava desenhar na borda das folhas do caderno de escola, pra depois soltá-las uma a uma e ver o desenho se movimentando toscamente, eis a sua chance de libertar o animador que há dentro de você.

São várias categorias, entre elas, curta-metragem, curta infantil, longa-metragem, roteiro e trilha sonora. E a grana da premiação não é de se jogar fora, para o ganhador na categoria curta-metragem, por exemplo, é pago R$ 8 mil. Mais informações podem ser obtidas no site do Anima Mundi.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Os Problemas Sexuais dos Super-Heróis

Olá pessoal, tudo bem? Antes de qualquer coisa! Esta matéria é de cunho do sr. Odisseu Kapyn, que escreve artigos para o site Cocadaboa (que é muito bom, por sinal). Senti vontade de compartilhar este em particular com vocês. Espero que gostem!


(Publicado originalmente em Novembro de 2001.)

Por serem muito lidas por crianças e jovens que ainda estão se iniciando na vida sexual, as revistas em quadrinhos nunca foram muito fundo ao mostrar a vida íntima dos super-heróis. Mas é sabido que a maioria das pessoas tem algum problema nessa área. Pode ser ejaculação precoce, impotência, frigidez, membro diminuto, pouca lubrificação e até taras esquisitas envolvendo animais, anões e excrementos. Engana-se quem acha que os super-heróis nunca enfrentaram problemas sexuais. Pelo contrário. Eles têm superproblemas sexuais. Como não conseguem ter uma vida erótica satisfatória, procuram se realizar fora da cama, caçando e combatendo exaustivamente os vilões e ameaças da humanidade. Veja alguns casos de disfunções sexuais de nossos protetores:

Super-Homem - Pobre Kal-El. Único ser de sua poderosa raça. Super-homem é praticamente um homem virgem. Na adolescência, quando seus poderes ainda tinham menor intensidade, foi a um prostíbulo de uma cidade perto de Smallville. O jovem Clark Kent não conseguiu terminar o serviço, pois seu vigor deixou a prostituta em coma. Seus pais adotivos até tiveram que subornar a polícia para não prender o jovem alienígena, pois todos acharam que ele tinha estuprado a meretriz diante do estrago feito. Desde aquele dia, Super-Homem teve que se contentar com uma vida dedicada ao o­nanismo. Seu casamento com Lois Lane não envolve sexo. Super-Homem tenta satisfazê-la apenas direcionando seus quentes raios óticos no *****óris da esposa.

Wolverine - O poder de se recuperar instantaneamente de qualquer lesão física é ao mesmo tempo uma benção e uma maldição para o mutante canadense. Um corte em Wolverine cicatriza em questão de segundos. Por essa razão, Wolverine nunca conseguiu ver sua própria glande, que está sempre coberta por uma densa pele. Nenhuma cirurgia de fimose deu jeito, já que assim que o bisturi cortava o prepúcio, ele se auto-reconstituía. Wolverine tem ereção e consegue penetrar orifícios, mas não tem nenhum prazer. Por isso é tão nervoso.

Senhor Fantástico
- Reed Richards, líder do Quarteto Fantástico tem um problema evidente com seu corpo elástico. Pode-se perceber que quando seu braço estica, fica sem consistência. O mesmo ocorre com seu pênis, que quando aumenta quando excitado, perde toda a rigidez. Pode-se dizer que o Dr. Richards é fantasticamente impotente. O mesmo mal assola o Homem Elástico, aquele do suspeito colant vermelho.

Batman - Este sombrio herói é obcecado por morcegos. Adora se vestir como morcego, morar como morcego (em caverna) e agir como morcego. O problema é que os morcegos são grandes sugadores. E é assim que o perturbado bem-feitor procura prazer: apenas sugando ou lambendo. Adepto apenas do sexo oral, Batman dispensa penetrações. No começo de suas relações, suas namoradas até ficam felizes com a habilidade oral de Batman, mas logo se aborrecem quando percebem que o sujeito é incapaz de consumar o ato e entrar em cavernas mais apertadas. Batman conseguiu um relacionamento instável quando atuou ao lado de Robin, com quem ficava horas no escuro praticando felação. Mas o rapaz também não agüentou ficar só no sexo-saliva.

Mulher Maravilha - A princesa Diana, antes de vir para o mundo conhecido pela humanidade, vivia numa ilha habitada apenas por mulheres. E é só lá que se sente feliz. Não precisa dizer que Mulher Maravilha é lésbica. Mas isso nem chega a ser um problema para ela. Diana realmente tem dificuldades em encontrar uma companhia estável por causa de seus fetiches. Ela adora amarrar suas parceiras com seu laço e esbofeteá-las como faz com os inimigos. Só que a Mulher Maravilha tem força sobre-humana, o que acaba com seus relacionamentos.

Hulk
- As pessoas às vezes se perguntam por que quando o Dr. Banner se transforma em Hulk, todas suas roupas se rasgam, exceto pela parte de cima da calça. A resposta é óbvia. Aquela região não aumenta de tamanho. Para que Hulk fique forte, seu metabolismo concentra toda a dilatação de músculos e circulação de sangue para o tórax, braços e pernas. A virilha, por conseqüência fica atrofiada. O gigante verde é uma piada sem as calças.

Homem Aranha - Peter Parker tinha tudo para deixar as mulheres loucas. Com sua flexibilidade, poderia partir para as posições mais mirabolantes com elas. E com sua habilidade de escalar paredes, poderia até pular com a parceira para o espelho do teto do motel. Seria ótimo por um probleminha. O pênis do Homem Aranha também tem poder de aderência, que fica sem controle quando ele está excitado. No clímax do coito, o herói não consegue mais executar os movimentos de ida e volta, ficando com o membro grudado nas paredes vaginais da parceira. Nas poucas vezes em que conseguiu ejacular, suas companheiras também reclamaram que seu esperma é extremamente pegajoso e não é fácil de ser limpado.

Aquaman - Nosso amigo das profundezas cresceu sem contato com o sexo oposto. As únicas fêmeas que conhecia eram sereias, seres que só são mulheres da cintura para cima e que por isso não têm vagina. Aquaman nunca soube direito o que fazer com seu pênis. Sem conhecer o maior dos prazeres carnais que um homem pode ter, Aquaman acabou sendo atraído para o outro lado da vida. Pintou os cabelos de louro e passou a usar seu poder telepático para obrigar que enguias e serpentes marinhas lhe proporcionassem as formas mais ignóbeis de satisfação sexual. Grotesco mesmo.

The Flash - Nao precisa explicar muito. Ejaculação precoce.

Meninas Super-Poderosas - Seus problemas sexuais ainda não se manifestaram, já que a garotinhas ainda não tiveram sua sexualidade despertada. Mas todos os sexólogos aconselham as mulheres a conhecerem bem seu próprio corpo antes de partirem para o sexo, descobrindo suas zonas erógenas para mais tarde saberem o que pedir aos parceiros. Em outras palavras, a masturbação é importante para uma vida sexual saudável. Infelizmente, Docinho, Lindinha e Florzinha não têm dedos e jamais vão saber o­nde devem ser tocadas. A não ser que apelem para a prática do fist-*****, o que deve ser doloroso no início da adolescência.

Odisseu Kapyn
odisseu@cocadaboa.com

Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith

Por Galford

Bem, bem, o ano é 2005, ano em que terminou mais uma trilogia, Star Wars. Sim, aquela que parecia a melhor novidade do universo até você assistir aos dois primeiros filmes. George Lucas, o ser mais amado e odiado por nerds da galáxia conseguiu fazer dois filmes deveras entediantes que só poderiam agradar mesmo os mais fanáticos da série, minando quase totalmente com a esperança de ver a trilogia ser fechada com chave de ouro. Mas para surpresas de alguns o filme foi muito elogiado e tido como a salvação da lavoura, só tem um problema, os tais críticos que glorificaram o filme não eram fontes confiáveis porque seus critérios eram deturpados pelo seu lado fã da força, então vamos a análise de alguns momentos de forma mais imparcial possível:

Passado a musiquinha básica e as letras subindo para infinito descobrimos que o Senador Palpitine foi raptado, e cabe a Anakin, Obi Wan e cia., cuidar do problema, então já começamos com altos loops especiais que deixam qualquer um com labirintite. Logo descobrimos robozinhos que gritam, uma nave que funciona com asa quebrada, e um portão de segurança máxima que possui uma caixa de força bem do lado de fora bem protegida de qualquer tiro. Dentro da nave, Anakin e Obi Wan exibem os golpes de sempre para destruir robôs. Então aparece Conde Dooku que luta com ambos e aqui já rola um problema, chamaram Christopher Lee porque isso ia garantir uma boa atuação, só que ele já é um baita velho, então as cenas de lutas ficam bem no nível dos filmes do Mazzaropi. Por fim, Anakin corta as duas mãos de Dooku (primeira de várias mãos cortadas durante o filme). Conhecemos Grievous, um ser meio robô, meio alien, tu espera uma putcha personagem, mas só consegue um robô asmático.

Obi Wan, o Rambo do espaço decide ir sozinho para o planeta onde Grievous se esconde. Antes da luta começar, o robozito mostra que tem quatro braços e pode lutar com um sabre de luz em cada mão, ele vem fazendo altos efeitos de luz, então você espera uma putcha luta de novo, mas nada, pode continuar seu cochilo, o excesso de luzes dos sabres (que não refletem luzes em outros objetos não sei porque) impede de ver direito o que acontece na luta, fora que tudo segue sem emoção. Pra ajudar, numa era com tantas tecnologias, Obi Wan escolhe como transporte um bicho que possue o grunhido mais irritante de toda série.

Mace Windu junto com 4 jedis decide prender o Senador Palpatine. Voltamos ao caso de velho que não sabe lutar (tirando o Pai Mei, claro). E dá-lhe luta sem sal. Sem contar que Samuel L. Jackson num fica legal com um sabre de luz, é só dar uma magnum na mão dele que ele despacha o cara em dois tempos no melhor estilo Shaft. Se Palpatine já era tosco, aqui ele extrapola de vez, sua atuação implorando é de envergonhar qualquer ator mexicano, aquele tom de voz, aquele bico, expressão, putz, como seria bom mudar a história e mandar aquele cara pro limbo. Não podemos esquecer da maquiagem, se o Senador era tosco na trilogia original, aqui ele se supera, parece um personagem digno de Xuxa e o Duendes. E nesse trecho vemos mais uma mão ser decepada.

Finalmente chegamos à cena que os jedis são exterminados, apesar de serem os fodões do universo eles morrem facilmente. Mas admito que gostei dessa parte pelo tom dramático e pela música, deu o clima triste que o evento precisava.

Enquanto isso na chewbaccalândia, os soldados do império matam quase todos, sobrando Chewie e seu companheiro. Impossível não rir na cena em que o wookie cede o braço para Yoda subir no seu ombro, parece que em seguido o wookie vai pegar uma caixa de música com bilhetinhos da sorte e pedir pra Yoda pegar um e oferecer a alguém.
Nota-se também a interessante cena de diálogo entre Chewie e seus companheiros, algo como:
-Auuu uuuu: O que fazemos agora?
-Auuu uu: Não sei!
-Auuu uuuu: Que tal ir lá em casar comer um pouco de Foster e escovar meus pêlos?!
-Auuu uu: Ótimo!

Agora rola um duelo Yoda versus Palpatine, o que esperar de um duelo de um anão verde contra um velho reumático, nada demais, o senador que apanhou do Mace, consegue ganhar do “O” mestre Yoda.

Finalmente rola o confronto de idéias de Padmé e Anakin, onde rolam as melhores frases do filme e também o esperado confronto pupilo contra mestre, a luta é a mais animada (mas nada de cair o queixo) do filme, com direito a um belo visual de lavas incandescentes, e pra variar, mais mãos decepadas, santa originalidade Batman. Anakin sem mãos e pernas, ainda é atingido pela lava e pega fogo, é cara, realmente não é seu dia, mas calma, o highlander da galáxia sobrevive, claro.

Padmé nas últimas dá a luz a Luke e Leia, e contrariando todas as leis universais da indecisão feminina, ela consegue escolher o nome dos bebês em poucos segundos.

Agora o momento mais esperado de todos, nascimento do temível Darth Vader, a primeira respirada, uhhh, cool Beavis, aí a mesa levanta, Vader dá um passo Robocop, grita um nãoooo e caga toda a cena. Aí sua parte termina com ele contemplando a futura Estrela (que tem forma de bola) da Morte, incrível que ela vai demorar quase 18 anos pra ser construída, só que na outra trilogia ela demora só alguns meses pra ser reconstruída.
Sem contar como o Luke e Han Solo, com alturas diferentes, passam despercebidos, vestido de soldados do império sendo que tais soldados são clones?!

Com o sol de fundo, num momento O Rei Leão, o fazendeiro Owen Lars e sua mulher seguram o pequeno Luke. Fica a esperança de alguém destruir o império e de que Geoge Lucas pare de editar os filmes originais.

Respiração final do Darth Vader, e fim!!!

Bom, realmente é o melhor filme da nova trilogia, também duvido que dava pra fazer piores que os anteriores, o filme é longo, e deveras entediante, parece que só na última hora do filme que o motor pega embalo, pior que pela obrigação de amarrar todas as pontas dos filmes anteriores com a trilogia original, o filme não apresenta nada surpreendente, sendo mais um filme esquecido em poucas semanas.

Em termos de atuação, Ewan McGregor como Obi Wan mantém o lado bom da força mostrando toda a dor de seu personagem ao enfrentar seu querido pupilo, com certeza o melhor ator do filme não devendo nada a Alec Guiness, Obi Wan original. Agora o lado negro da força é justamente Hayden Christensen como Darth Vader (irônico, não?). Se não bastasse a péssima atuação de Jake Lloyd fazendo Anakin criança, Hayden já não empolgava quando bonzinho, ao se tornar mal desandou mais, em termos de atuação robótica só perdeu para C3PO. Pra “ajudar” a situação, o roteiro não colabora, mostrando um Anakin se juntando ao lado negro da força rápido demais, e pelo que entendi, ele se tornou dark porque sua mulher ia morrer e mataram sua mãe, logo o imperador mais temido do universo foi criado por causa de duas mulheres, cara, eu sabia que a mulher podia destruir a vida de um homem, agora ajudar a destruir planetas, é algo novo e assustador.

Ainda tô tentando entender porque os robôs gritam e fogem de medo... pra que criar uma A.I. com essa programação?!

Tirando a luta de Darth Maul, as lutas dessa trilogia não empolgam mesmo, não são nada emocionantes, no máximo os caras dão aquele pulo de apresentação dos Changeman.

Não é um filme que você sai empolgado do cinema como aconteceu com Matrix e O Senhor do Anéis. A Vigança dos Sith é um filme que funcionaria quando saiu a primeira trilogia (que na verdade é a segunda, é, depois os nerds tiram sarro dos leigos quando não entendem isso), os tempos são outros, sabe, é difícil aceitar numa boa um bichinho verde dizendo palavras ao contrário, era preciso mais originalidade para prender a atenção hoje em dia, e não tem nada de inovador nos efeitos especiais do filme, o positivo é que pelo menos nesse, os filmes não aparecem mais que os atores, já tava enchendo o saco aparecer tanto personagem 3D nos dois filmes anteriores.

Enfim, A Vingança dos Sith empolga no final, é legal, mas é um filme esquecível, não é aquela coisa de você ficar empolgado pra assistir quando sair em DVD/Vídeo, minha vontade mesmo era comprar o Box da trilogia original no dia seguinte, o que impede mesmo é saber que o pentelho do George Lucas não para de editar os originais e que também estou sem grana. Ninguém quer fazer umas doações?! Hehehe

Se forem me xingar nos comentários, pelos menos façam de um jeito que tenha argumentos pra serem rebatidos. ^^

Mai-chan, obrigado pelas dicas de furos da trilogia.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Jornal iraniano convoca concurso de charges sobre o Holocausto

"O mais importante diário iraniano, o "Hamshahri", anunciou nesta segunda-feira que convocou um concurso de charges sobre o Holocausto em resposta às ilustrações publicadas por jornais europeus do profeta Muhammad, o que vem motivando uma onda de violência no mundo árabe e muçulmano."Este será um concurso internacional de caricaturas sobre o Holocausto", afirmou Farid Mortazavi, o diretor do jornal, publicado pela prefeitura de Teerã.Segundo Farid, esta iniciativa é uma resposta aos jornais europeus, que afirmam que as charges de Muhammad --cuja representação é proibida pelos preceitos da religião muçulmana-- foram publicadas em nome da liberdade de expressão."Os diários ocidentais publicaram estes desenhos sacrílegos sob pretexto da liberdade de expressão. Vejamos se assumem o que dizem e publicam também os desenhos do Holocausto", frisou.Segundo o jornal iraniano, os 12 ganhadores do concurso serão premiados com moedas de ouro."

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u92340.shtml

Seguindo a onda do Cadu, aí vai mais uma boa oportunidade pros desenhistas...

terça-feira, fevereiro 07, 2006

O Final Nunca Visto de Caverna do Dragão

Você confere aqui, em uma animação em flash bem tosca, com uma dublagem mais tosca ainda, mas que rende algumas risadas. Dica do Ovelha Elétrica.

domingo, fevereiro 05, 2006

3º Concurso Folha de Ilustração e Humor

"Estão abertas até o dia 15 de fevereiro inscrições para o 3º Concurso Folha de Ilustração e Humor. A intenção é revelar novos talentos do desenho e selecionar colaboradores para o jornal.
O concurso está dividido em seis categorias: ilustração livre, ilustração científica, ilustração infantil, charge/cartum, quadrinhos e retratos. Os candidatos podem participar em quantas categorias desejarem, com até cinco trabalhos (em tamanho ofício, 216 mm por 355 mm) em cada categoria -com exceção de quadrinhos, em que o limite é de dez trabalhos.
Os três primeiros colocados de cada modalidade terão seus trabalhos publicados em edições dominicais da Folha e o vencedor do concurso será convidado a colaborar com o jornal durante um período de experiência de até três meses.
A comissão julgadora será formada pelo cartunista Laerte, pelo ilustrador Orlando -ambos colaboradores da Folha - e pelos jornalistas Marcos Augusto Gonçalves (editor da Ilustrada), Massimo Gentile (editor de Arte), Fábio Marra (editor interino de Arte) e Luciana Sugino (editora de Arte da Revista da Folha).

Esta é a terceira vez que a Folha incentiva o trabalho de novos talentos. Em 1985, em um concurso semelhante, o jornal revelou o chargista Spacca e o quadrinhista Fernando Gonsales. Em 1999, foi premiado o chargista Jean, que se tornou colaborador regular do jornal na página 2.
Gonsales era um veterinário recém-formado que gostava de desenhar animais. Ganhou o concurso do jornal com seu anti-herói urbano, o rato Níquel Náusea.
Spacca tinha 21 anos quando venceu o concurso. Na época, trabalhava em publicidade. Jean foi premiado aos 27 anos, quando se preparava para prestar vestibular para o curso de história.
Além dos três, outros selecionados passaram a trabalhar para o jornal após ser revelados pelo concurso, como o ilustrador Clayton Luiz Camargo Júnior e Fabio Zimbres, que assinou a tira "Vida Boa" na Ilustrada."

Fonte: Folha de S. Paulo

Está aí uma boa oportunidade para os quadrinhistas brasileiros. Para ver mais detalhes do regulamento, clique aqui. O único porém é que eles só aceitam trabalhos de autoria individual, ou seja, já era a minha idéia de inscrever o Homem-Grilo no concurso. Uma pena.

sábado, fevereiro 04, 2006

Olá minha gente.
É com muita alegria que mando meu primeiro post. Aliás, nem sei porque é que me convidaram, nunca fui considerada um membro de verdade da equipe pois não cheguei a passar pela provação do macarrão com salsicha e eu sou mulher!
Pra quem não sabe, me encontro atualmente no Japão... logo, sempre que possível, mandarei alguma curiosidade em relação aos quadrinhos, filmes, etc... Infelizmente meu japonês ainda não serve pra nada, só pra não passar fome. Então contentem-se com o que eu conseguir lhes passar.

Estava eu passeando em uma loja de brinquedos quando me deparei com algo inusitado. Segue abaixo 3 Snoopys diferentes:



Esses fazem parte de uma comemoração especial: o Dia do Meninos. Acontece em maio e pululam vários tipos de bonequinhos que não fogem dessa vestimenta acima, estilo guerreiro e o dia serve (ou antigamente servia, porque hoje em dia tá tudo muito comercial...) pra estimular o ânimo dos meninos, atraindo sorte e coragem.